Ah! Bruta flor do querer!

Desejo-te nos momentos de angústia e riso. Desejo-te espaço e tempo. Desejo-te nos respingos, nas obras de arte do meu acervo perfeito. Desejo-te nos quadros raros de pintura rasa e úmida. Nas cores da minha elegia. Desejo-te febril, definhando aquela febre que não transpira, que é seca. Eu te canto, eu te pinto, eu te desenho e te vivo num sonho sem dor em que te criei. Desejo-te graficado no concreto muro do querer-te áspero. Arranhando com unhas incontestáveis. Desejo-te janela aberta e porta escancarada. Brisa e oxigênio. Desejo-te espírito e corpo, mistério e memória, força e fraqueza. Desejo-te segredo revelado, véu descortinado. Desejo-te imersão morna em águas profundas dentro de mim. Desejo-te incrustrado na parte mais grossa da sola do pé, como farpa, entrando e perfurando a carne de prazer e dor. Desejo-te troféu e conquista. Desejo-te em momentos de cama, em momentos de chão. Desejo-te saborosamente servido, em pé, deitado, em duralex, eucatex. Desejo-te com gula, com fome de eternidade. Desejo-te como a única direção possível. Desejo-te todo, inteiro, pra encher meu ser de ti. Desejo-te urgentemente, sem limites, irremediavelmente sedento e entregue. Desejo-te aberto pra me lambuzar de ti. Desejo-te cio. Desejo-te em poses na frente do espelho, em gemidos úmidos e fatais. Desejo-te beijo e aconchego. Desejo-te aflito, ereto e afoito. Depois alívio e recomeço. Desejo-te canção no meu ouvido. Desejo-te composição definitiva. Desejo-te sinfonia perfeita e viva. Desejo-te nas veias, correndo em mim, percorrendo meu corpo como língua. Desejo-te feroz e constante. Desejo-te calmo e descanso. Desejo-te boca, mãos, pele, olhos, pêlos, apelos e pernas. Desejo-te clímax, delírio, gozo e loucura. Desejo-te fruta de saliva doce. Desejo-te cordas pra tocar e sentir... Vibração e tremor. Desejo-te como chama, queimando. Como gelo, arrepiando... escorrendo. Desejo-te movimento, dança e vai e vem. Desejo-te fecundo e irreversível. Desejo-te infinito. Infinitamente meu. Desejo-te no momento da explosão. Desejo-te estrela brilhando, cometa rasgando o meu céu. Desejo-te do momento da criação do mundo até o fim dos tempos. Desejo-te vento do norte, caminho, mar desbravado. Desejo-te tempestade caindo em mim, vento machucando os cabelos. Intrínseco e latente. Desejo-te dolorosamente perto e dentro. Desejo-te rápido, lento. Desejo-te festa e fartura. Decalcado, tatuado pra sempre na alma. Desbotado de tanto amor. Desejo-te assim em mim, de forma assustadora e completamente impossível. Desejo-te mais em mim do que a mim mesma. Desejo-te em todas as encruzilhadas, em todas as estradas, em cada pedaço do meu caminho. Desejo-te começo, meio e nunca fim! Desejo-te pronto.... e ponto!

13 MIL RECADINHOS:

Sir DoRego disse...

caraca garota pura inspiração esse seu post...pura inspiração...agradeço como amante da leitura e da poesia pura, por voce ter publicado isso e continue inspirada...nós seres desse mundo frio precisamos constantemente dessa sua inspiração...

Van disse...

Sir,
Vindo de você isso é puro deleite!!!
Obrigada de coração.
Beijuca e até daqui a pouco.
;)

dän disse...

escreve pra caramba! beijao.

Bródi "Tom" Negão" disse...

Deve ser bom (ainda que arranhe e corte e sangre) ser desejado assim.

Van disse...

Tom... Desejo-te sempre por aqui!
Seus comentários são no mínimo desconcertantes.
Adoro!
Beijuca

AP disse...

Lindo, lindo, lindo! Beijos.

FernandoMS - Pulga disse...

owww...
legal seu blog...
tô assinando o feed...
Abração e parabéns!
...[:)]...

Thiane disse...

Nossa, posso usar, com crédito? Isso compõe um cartão inspiradíssimo. Maravilhoso. Bjs

Van disse...

THIANE:
Claro! Colocando créditos eu deixo!
hahahahahahahahahahahahhaa
Que bom que gostou!!!!
Beijuca

DM disse...

Poesia Pura!

Isso é que é desejar alguém!!! Como disse a Thiane, me empresta o texto, para um momento especial de sedução ?

Van disse...

Uau!!!! Claro! Emprestado!!!!
Pode seduzir à vontade!
Amem, amem, amem mais!
:D

Angellis disse...

tanto desejo me da vontade até de desejar, tanto desejo que passo a querer amar.

tão raro encontrar tanta riqueza literaria nos dias de hoje, como sempre encantado com o que vc escreve.

Thiane disse...

Postei uma parte no blog com link pra cá. Mas pode ter certeza que isso ainda vai parar no ouvido de alguém de outro jeito heheeheheh Bjs

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari