SOLITUDE

Vem vindo uma tempestade! Abra as janelas e deixe-a entrar! Assim sou eu: Uma imensa janela aberta invadida pela tempestade. Um pouco de mim é perda. Um pouco de mim chove. Um pouco de mim se abre, aceita e deixa-se molhar. Chuvas passam... Viver é cíclico! Um dia é de ganhar. Outro é de perder. Ontem eu perdi! Algo se acabou. Me levou um pouco também. Perder é assim: Uma cadeira vazia, um carvão congelado, um diamante roubado, um membro amputado, um desejo contido... Perder é como um barco isolado, os olhos fechados, as mãos amarradas. Perder é uma folha pisada, um nada, uma pausa na canção. Perder é solidão! Uma moeda antiga enfeitando a coleção. Uma obra rara trancada num porão. Perder é deixar-se esvaziar... É andar descalço por sobre cacos, é saltar no vazio. Perder é como voltar pra dentro. Um buraco no tempo. Um estilhaço na alma. Um casarão abandonado. Um piano quebrado. Hoje eu sou silêncio e introspecção. Um balão solto no ar, me deixando levar. Uma pedra no leito de um rio, me deixando gastar. Um pingente quebrado, um coração partido. Um navio naufragado, saqueado em alto mar. Um tic-tac embotado, um cuco engasgado. O tempo me trará as coisas de volta? .... Viver é cíclico! Eu preciso acreditar nisso. Ontem eu perdi muitas coisas. Hoje eu quero tudo de volta!!! Quem me trará?

3 MIL RECADINHOS:

Ricardo Rayol disse...

Van, gosto de textos assim, intensos, dramáticos e de uma carga emocional forte. Vou matutar e escrever a respeito.

dän disse...

triste.. =/

dän disse...

LINDO, mas triste. =/

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari