COTIDIANO NÚMERO 'QUARTO' - DIARIAMENTE NÃO É MAIS COMO TODO DIA!

É tanto pra calar que digo + Hoje por exemplo + Conversas com um velho amigo pra ver o rumo que tomamos + Um luto pairando no ar + Chuva e frio numa cidade que nunca ou quase nunca vê isso + Uma saudade de coisas que nem minhas são nem nunca foram e talvez nunca sejam, mas já são tanto e tão minhas que quase as tenho + Multidões passando por mim e eu querendo não ser + Alguém que me espera + Um encontro marcado que não sei se vai rolar na verdade + Sim + Mostro! + Um alguém que me chama e eu não pude voltar a tempo! E aqui registro: quero pedir desculpas a você por isso. Não consegui mesmo voltar e você bem sabe o motivo ou desconfia de alguma coisa mas eu te agradeço a paciência e a compreensão + Outro você e suas palavras exageradas para outros vocês que me dilaceram por dentro o lado mais lado do coração tão novo e frágil + Sim! Eu sou frágil! + Quando vejo essas coisas é como uma faca enfiada no meu coração + Afiada + Possessividade e ciúme + Sorriso quando vejo as respostas e quando me vejo entregue a cada palavra e sei que isso me basta pra ser um ser derretido e aos pés dos teus e nas mãos das suas + Não fico sem ti! + Dias sem fim + Leva minha alma e meu coração que são teus mesmo + Opa! O encontro + Prazer e culpa (demodê) + Prazer sem culpa (êxtase.deliciosa.delícia) + O ar está branco + A inusitada neblina me impede de ver o outro lado da rua ou a avenida logo ali e portanto é tudo solidão + Neblinas brancas e densas que me forçam o olhar pra dentro de mim + E esses mesmos olhos te lêem + E te querem + E te lêem em outra + E enfim, um pensamento sentido e escrito: As coisas que escrevo...... acho que nem percebo os "insights epifânicos" (uiii!) que tenho... As frases, as palavras, as metáforas... É tudo tão nítido como quando vc vê sua primeira imagem refletida no espelho na primeira luz da manhã. Entende? É aquela verdade estampada ali bem na sua frente. É assim o que você escreve... E eu me vejo cheia de desimportâncias.... E me deu vontade de cookie de chocolate. Puro. E até senti o susto na hora do beijo profano(?¿). O beijo de igual pra igual foi quase um pecado. Mas não é. Eu sei que não é. E ler-te me fez perdoar a outros pequenos e perfeitos delitos + Perfeitos! + Eu cometo delitos! + Eu como e meto! (ou vice-versa) + E até me senti inútil. E até quis........ + Quis? Você quer? Você me ama? Você vai? Você volta? + Volta sim! + Volta porque o que eu te dou ninguém mais pode dar + Sou só eu, perdida em mim e agora em ti que ponho tanto amor e vida na tua vida + Lembra? Em que lugar de ti em me perdi? + Perca-se em mim! Eu te rogo! Eu te imploro! + Invasão de literaturas e confusão de vocabulário + É assim que te quero: cada vez mais! + Brumas em mim + A verdade no espelho + A letra toda de "Nuvem Negra"* cantando no meu cérebro + Não mata não! + Não morro! + Fica pra mim a interpretação? + Então é assim que interpreto (-te): "Te quero pra caralho! Te curto pra caralho! Caguei pro mundo!" + Eu também! quero você. Só. E. Ponto. + IDEM + Ler-me é olhar-me no espelho! Ler-te é travesseiro! + Sonhar. Contigo. Sonhei. (?)


*A letra toda de Nuvem Negra: "Não adianta me ver sorrir, espelho meu, meu riso é seu! Eu estou ilhada! / Hoje não ligo a TV nem mesmo pra ver o Jô. Não vou sair, se ligarem não estou. À manhã que vem, nem bom dia eu vou dar. Se chegar alguém pra me pedir um favor eu não sei... Tá difícil ser EU, sem reclamar de tudo. Passa nuvem negra, larga o dia e vê se leva o mal que me arrasou, pra que não faça sofrer mais ninguém. Esse amor que é raro e é preciso pra nos levantar, me derrubou... Não sabe parar de crescer e doer..." (Djavan)

12 MIL RECADINHOS:

Erika disse...

Nossa, eu quase me perdí várias vezes em meio a este turbilhão de sentidos, Van.

Beijo

Van disse...

Taí uma boa definição pra esse texto, querida: turbilhão!
E assim foi o meu dia interno ontem... Um turbilhão de "sentires".
Como diria Clarice - the best - Lispector:
"Não se preocupe em entender.
Viver ultrapassa todo entendimento!"

Beijuca, lindona!
Obrigada por ser tão assídua!

Fabricio Dolci disse...

Eita que tá inspirada essa mulher!!!

Bia Ferreira disse...

profundo, intenso e confuso.. como o amor...
ai, ai.

AP disse...

Essas também foram as minhas palavras: Ai, ai... Toda vez que venho aqui, me lembro de amor... Nem sei se isso é bom! rs
Linda, continua intensa... Que bom!
Beijos e bom dia!

Flávia disse...

Oi, Van!

Que bom que vc veio... e que tenha gostado!

Reconheci nesse texto algumas frase da biografia da Elis. Acho que quando se fala de amor ou de qualquer outro sentimento em sua expressão mais intensa, Elis é sempre uma grande referência. E amor é isso mesmo: entrega, loucura, exagero, tempestade.

Linkei vc, pra não correr o risco de perder o caminho...

Beijos, e apareça sempre que quiser!

Ricardo Rayol disse...

Van, sabe muito bem que não precisava se desculpa. Fico lisonjeado com esse post, apesar de saber que só a parte das desculpas é minha ahahahah. No Stress querida amiga.

Van disse...

DOLCI: Tô sim! Muito!

BIA: É verdade! O amor é uma confusão!

AP: Querida, amor sempre é bom! De lembrar, de ler, de pensar, de fazer!!!! Portanto lembre, leia, pensa, faça!
Saudades, querida!

FLÁVIA: É sim, querida. A frase "Te quero pra caralho. Te curto pra caralho. Caguei pro mundo!" é na verdade um bilhetinho que a Elis escreveu pro Bôscoli. E o conquistou assim! Quem pode pode, né? Eu amo essa mulher (Elis)! Brigada por linkar e vir, querida!
Beijuca

RAYOL: O dia ontem foi mesmo um turbilhão como definiu a Érika! Mas eu sei que ando em falta contigo. Desencontros, apenas isso! Uma hora dá certo.
Beijuca, querido! ;)
No stress!

Mélica disse...

Mas é isso mesmo que somos... um turbilhão de sentimentos e hormônios!:)
Te desejo um belo dia.. beijos!

Wolverine Logan disse...

Sou novo por aqui e estou passando pra conhecer, gostei do blog e passo noutra hora com mais tempo

Van disse...

MÉLICA: Queridaaa, que saudades docê. Um dia lindo procê também!

WOLVERINE: Passe sim. Venha sempre! Vou adorar! Assim como adorei o seu blog. Irônico, divertido... Gostei muito!
Seja bem-vindo!
Beijuca

Fernando disse...

Van, fico de cara com estas espécies de mosáicos que fazes. Não é só a paciência, mas encaixar dias, sentimentos e vontades numa história ligados pelo sinal de adição, é do caralho!

Talvez seja uma forma boa desabafar, de falar de algo que nos aflige ou nos prende. Ou alegra. Enfim, uma sensação meio indescritível, porque a prosa é livre. Só que transformar todas estas somas em um belo resultado, ah, pra isso precisa musicalidade e talento!

Beijocas, Van!

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari