ELA ACORDOU DIFERENTE....

Ela acordou diferente. No entanto o dia era o mesmo... continuava igual, com o seu sol ameno de outono, um céu tão azul - como quase sempre naquela cidade - e o canto de algum pássaro ecoava no seu quintal particular. Uma cena comum, não fosse a noite que habitava dentro dela e que não despertou junto com o dia. Sim! Ela acordou diferente. Sem motivos pra acordar. Ela acordou escuridão! Os olhos embaçados sentiam as alfinetadas da luz intrusa que invadia o seu corpo. Esforçou-se para acordar. (Veja! Isso pra ela é algo difícil e exige um certo esforço) As atividades cotidianas não são simples pra quem traz a noite dentro de si. Não é culpa dela. Ela não nasceu assim. Foi ficando assim... Como uma pedra gasta-se com a água, assim ela também foi se moldando conforme a vida transcorria. Ela que antes era inteira e brilhante foi perdendo dia-a-dia os seus pedaços, a sua luz. Escovou os dentes, penteou-se, banhou-se, fez seu café... Mas estava diferente. No lugar onde deveria bater seu coração havia um vácuo. Ela sentia-se oca e pesada. Às vezes é assim... O vazio pesa muito mais do que toneladas de correntes. Ela quase podia ouvir o eco, rebatendo-se nas paredes de dentro de si. Os minutos foram passando e eram mais como horas. E as horas eram tortuosas como uma goteira insistente e ácida corroendo o caminho por onde ela pisava. Descalça. Nua. Oca. Ela vivia. Automaticamente vivia. Involuntariamente vivia. Esquecia-se de si mesma. A memória fraca e apagada embotava os sentidos e os sentimentos. E persistia... Estava tudo diferente. Ela acordou incompleta. Ela acordou escura. Havia perdido mais uma vez. E essas perdas a aproximavam mais e mais da escuridão. Ela deixou de existir pra alguém. Pra ele. Ele a deixou. Saiu assim sem dizer palavra. E quando se foi, levou com ele todos os sons que existiam. E os sorrisos que eram dela. E tudo o que era novo e fresco que só ele conhecia e trazia pra ela todas as manhãs . Ele era assim. Enchia a vida dela de som e de leveza. E tudo nascia e brotava. E o pomar era farto de frutas exóticas e sabores doces. Quando ele entrou na vida dela, ela sentiu que o dia brilhava. E era fácil acordar. Era bom. Era completo. E havia música por todos os lados. Diariamente. Mas no dia em que ele foi embora, levou junto a luz dos dias. E tudo o que era novo envelheceu e amarelou. Ela já não tinha mais as músicas que ele trazia. E ficou vazia. (E ficar vazia é pior do que ficar só) No lugar do coração, o buraco. Oco. Cacos espalhados pelo chão do sentimento. E ela que sempre andou descalça acabou se cortando. Tornou-se um remendo. Um arremedo. E silêncio. E noite! Ela já não acorda como se acordasse. Abrir os olhos é como continuar dormindo. Já não busca. Já não quer. Deixou de acreditar. Deixou de desejar. Seu altar está vazio. E assim como não ficou nada dela dentro dele... Também hoje, não há nada dela dentro dela. Ela é apenas um eco do que havia sido. Um resquício de si mesma. Perambulando pelos dias como quem escapa da morte por pura teimosia, por pura sorte. Ela é isso. Um incômodo andante pelos quartos da casa. Escuridão seca. Grito abafado. Mãos atadas. Hoje ela apenas vive. Apenas existe (não pra ele). Nem a sua imagem no espelho lhe traz alguma lembrança do que ela um dia foi. Ela é um resto que ele deixou. Ela só permanece. E sub-vive. Essa foi a herança daquilo que um dia ela achou que tinha outro nome, ou que poderia ser outra coisa melhor e mais bonita. Mas acabou. Tudo está diferente. Ela acordou diferente. Ele havia levado consigo o que ela era e o que ela poderia ter sido se ele quisesse ser também. Ela acordou diferente. Sem ele, tudo ficou diferente. E foi sempre assim. Tudo se repete. Nada mudou!
(Por: Van Luchiari)

17 MIL RECADINHOS:

Erika disse...

ai, muito triste...

beijos gêmea

Zana disse...

hahahahahaha...triste mesmo!!! estou fazendo aki a minha doação da campanha...hahaahahahahahah

Ricardo Rayol disse...

cacete, e isso que você está sem inspiração, mas ficou bom demais da conta.

Leticia disse...

É terrível perder quem se ama...fica um vazio que não tem explicação!
incomensurável.
Bjs querida, ah me mudei pra o blogger, ganhei o complô!!!!!kkkkk

Ana Paula disse...

Tãããããão triste, linda...

Fernanda Passos disse...

Mas ela se molda conforme a vida...isso é que importa.
Belíssimo teu conto.
bjs.

Anônimo disse...

wallace stevens?

Van disse...

ERIKA
Mas é bonito! [;)]

ZANA
Então por que é que você tá rindo, ora bolas? (brincadeirinha querida!) Saudades. Que bom que voltou! Beijuca

RAYOL
Brigada, querido. Ainda não foi mesmo dos melhores. Mas já é um começo. Um princípio de inspiração. Aos poucos a gente desentope a veia criativa. Beijuca

LETICIA
Que bom que conseguiu querida! Vou conhecer hoje mesmo. E sim! Perder um amor é insuportável, mas a gente sobrevive. "O que não nos mata nos torna mais fortes".

AP
"Triste é viver na solidão / na dor cruel de uma paixão / Triste é saber que ninguém pode viver de ilusão / E nunca vai ser, nunca vai dar / Um sonhador tem que acordar..."

FERNANDA
Bem-vinda, querida! Que bom que gostou. Sim, isso é o que importa. Ela se molda. Ela é flexível. Ela é Fênix... Beijuca e volte outras vezes! Vou adorar!

ANÔNIMO
O texto é de minha autoria. Todo ele. Palavra por palavra. Se lembrou algo do Wallace foi mera 'coincidência' (e uma honra!). Bem-vindo e Beijuca.

Lord Broken Pottery disse...

Van,
Belo texto! Apenas lembro que as noites que carregamos dentro da gente são finitas. Um dia, amanhece.
Beijo

Lu Cordeiro disse...

Gostei muito. Traduz o que por várias vezes senti. O viver automaticamente, o sub-viver é estranho. A ausência é o único referencial. Mas, como disse "lord", as noites são finitas mas, um dia, amanhece.
Beijos e apareça pq Olegária contou mais coisas...rss.

Anônimo disse...

desculpa aê. acho q não fui clara. não disse e nem mesmo insinuei q o texto não é de sua autoria. a minha pergunta foi na verdade se vc tbm como eu não acha que "o clima" do texto lembra o estilo de wallace stevens em alguns poemas. é claro que eu própria escrevo coisas que mesmo que eu não queira sofre influência de inúmeros autores que li, especialmente aqueles que gosto mais. questão de afinidades, preferências estéticas. o seu blog é ótimo e esse post está excelente. parabéns pelo talento. abraços da Nina.

Alê Namastê disse...

Renovações...Sempre!

priscilla disse...


Things are changing
But nothing changes
And still there are changes
Le roi est mort, vive le roi!


.... ces't la vie...de rose.

ps: a resposta ao teu comentário tá lá no Limão. Super obrigada pelas suas visitas e feedbacks. Os silêncios tão me matando mas também não tenho produzido decentemente nos últimos tempo. beijos, jucas e letras!

Flávia disse...

Van!

Me surpreendes, menina... cantora, cronista, poetisa e agora contista? E, melhor, desempenhando com maestria todos os papéis!

A história é triste sim, como tantas outras que acontecem todos os dias. Mas lindamente contada - como só alguém sensível poderia fazer.

Beijos, flor. E parabéns...

DM disse...

Isto que em seu último comentário nas vacas, você estava "embotada", acho que foi isso que li, queria ter essa inspiração toda , quando estivesse "embotada"... Mas hoje acordei como sua personagem, com um vazio tremendo no coração, talvez pelo Dia dos Pais, já que o pai está longe, talvez por não conseguir dar conta de tantos prazos e compromissos ... Hoje acordei literalmente assim e confesso que tá muito duro, vencer desse jeito essa segundona ... Enfim, só lendo as amigas pra se animar um pouco ...

Beijões

jotabloguer disse...

Olá Van! Nesta Vida algumas vezes perdemos, outras ganhamos... é como numa competição desportiva! Mas vem sempre o próximo jogo e temos de vencer! Não permitir que o adversário seguinte se aperceba das nossas fraquezas! O que ficou para trás ficou! Como diz Fredy Mercury numa das suas camnções: "the show must go on!". E nós na nossa visa sentimental é assim que temos de fazer! Levantar a cabeça, entendes! Texto muito impressivo e não falta quem por aí ande neste estado de perda! Mas eu continuo a dizer que só a Morte nos vence! No resto temos sempre uma hipótese de vitória...
Beijos para Você!
Jorge madureira

Van disse...

LORD
Já te disse o que achei do seu comentário. Foi muito importante pra mim. Obrigada!

LU
O Lord matou a pau mesmo! E estou devendo outra visita à Olegária. Prometo passar por lá logo logo. Obrigada querida!

NINA
Querida, eu realmente não tinha entendido se vc achou que fosse do Wallace. Enfim, não achei ruim não. Achei bom que as coisas que eu escrevo possam lembrar mesmo que de longe autores tão brilhantes e sensíveis. ;) Me sinto honrada mesmo. Vou procurar conhecer melhor o trabalho do Wallace agora que vc disse que o que eu escrevo é parecido. Obrigada pela dica, viu? Beijuca

ALE
Renovações..... Sempre!

PRILL
Lindona, comprei um sacão de confetes pra jogar em você. ;)

FLAVIA
Exagero seu, querida. Você é que é muito gentil e doce! Um amor! Obrigada!

DM
Amore.... Eu tô aqui pra o que você precisar, viu? E pegue o conselho do Lord aí em cima pra você também. UM DIA AMANHECE! Te adoro, querida! Fica bem.

JORGE
Querido, tuas palavras são um alento.
THE SHOW MUST GO ON! Sábia canção!
Obrigada por passar por aqui sempre. Por ser tão assíduo. Beijuca

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari