EU TE AMO DE AMOR

O que eu amo em ti não é a sua beleza visceral e quase surreal. Nem é o teu jeito de calar e de negar me dizer as coisas que eu quero ouvir. Eu não amo em ti o silêncio nem o barulho. Não te amo porque já sou tua mesmo sem querer e sem que tu precises pedir. Não te amo porque tu me fazes escorrer, latejar e pulsar o tempo todo mesmo sem estar por perto. Não é por isso que te amo!
O que eu amo em ti não é a tua cara de solidão, nem o teu olhar devastador implorando meu querer. Não te amo só porque quando tu apareces o meu coração dispara e o cio invade meu corpo percorrendo-me feito língua molhada. Não te amo porque confesso-te entre gemidos as minhas coisas mais profundas. Não é por isso!
O que eu amo em ti não é o que você me faz sentir de cima a baixo e muito mais embaixo. Nem é porque você faz poesias que me tiram o chão e o eixo e me enchem de umidade constante, mesmo em tempo de secura. Não te amo porque teu suco é uma ilusão apetitosa que eu lambo e mordo num sonho molhado de madrugadas e cadências. Também não é isso!
O que eu amo em ti não é a forma como você chega sempre assim, gatuno e proibido, roubando minha fúria e desvendando meus truques. Nem é porque você invade minha cama e penetra meu sexo com delírio e fantasias. Não te amo porque cada respirar teu me deixa existir e me faz mais plena, completa. Não te amo porque me dás de beber e comer da tua fonte inesgotável de torpor. Não é pelo teu gozo intoxicante que eu te amo. Não é isso!
O que eu amo em ti meu amor, não é o fato de saber-te novo e lúdico, nem é por ver-te brincando com o meu coração nas mãos, amassando-o e sugando com força a vida que existe nele. Não é porque tu jogas comigo e pareces sempre ganhar. Não é por isso que te amo!
Eu não te venero, amor, pela arte exposta e viva que tu és. Nem é pelas mãos que me percorrem e entram em cada vão, espalhando em mim o meu gosto, usando-me como tela. Nem pela alma entregue que te dou em cofres protegidos (o segredo pendurado em teu peito, feito medalha). Eu não te amo pelo que tu faz mexer em mim. E olha que mexes em tudo! E fazes voar as borboletas. E fazes escorrer os morangos pelos meus seios e pernas, fartamente. Mas não é por isso que eu te amo!
Eu te quero, eu te venero, eu te amo sim, meu doce! Amo-te pelo que de mim eu vejo em ti. Eu te amo pelo que eu te dei pra que tu mastigasses. Tu és como um espelho refletindo o que eu te dei. Eu tornei-te assim do meu jeito, pra poder amar-te sem medo. Pra que tu coubesses em mim, sem me machucar, eu te fiz assim com o meu tamanho exato. Eu te soprei muito de mim, pra poder provar desse amor que eu mesma sinto e que dou a cada instante pra te preencher os vazios. Eu te amo porque tu misturas nós dois aí dentro de ti e ousas beijar minha boca com fome e com gula. Porque por mim tu torna-te fluido, orgasmo e êxtase.
Eu te amo porque és aprendiz do meu amor. E porque tu aprimoras as palavras rasas e feias que eu te escrevo. E porque tu me devoras o tempo todo em que eu insisto em co-existir em ti.

Por Van Luchiari ©

13 MIL RECADINHOS:

Mila disse...

Caramba... isso é que é paixão...
Diante de tanta intensidade só me resta aplaudir, cumprimentar e humildemente em minha vida esperar.
Beijos Mila

Prill disse...

você comentou, lembrei duma musica e quis te mandar.
nem todo mundo gosta de fernanda abreu, mas é isso (mais jovi joviniano e rodrigo campello: bidolibido). ouvindo é mais interessante, pelo menos pra mim, eu curto esse lance do samba no funk no samba denovo, sei lá, bairrismo? rs
beijos e jucas.


Bidolibido
libido, libido
só quero contigo
só fica comigo
te falo no ouvido
um lugar escondido
te faço um pedido
um segredo,um abrigo

Bidolibido
libido libido
eu sempre te digo
me pede que eu fico
me lança um feitiço
me mostra o caminho
que eu saio correndo perigo

Bidolibido
libido libido
eu vivo no estilo
de um filme do tipo
"cinema bandido"
no morro, no risco
na mira do tiro
no alvo do missil

Bidolibido
Libido, libido
voce é meu vicio
num dia dificil
só conto com isso
no hall do edificio
I miss you

Braço nos braços,
me abraça, me amassa,
me enlaça, me deixa
de quatro no ato,
me faça de gato e sapato,
amarra meus nervos de aço
num maço, num saco,
num frasco, num lapso
naquele abraço

Quando te vejo
seu beijo, desejo
só quero sossego
Só quero seu amor

Quando me vejo
no seu corpo inteiro
em abril, fevereiro
Só quero seu calor

Flávia disse...

Cara, vou comentar o quê?!

Uma ofensa de tão lindo...

(olhos e coração embasbacado do outro lado da tela)

Beijo!

Erika disse...

To com a Flavinha.. comentar o q?

Só babar.

Beijos gêmea

dän disse...

liiiindo seu blog assim, ficou bem melhor! super beijo. saudades.

André Moinhos disse...

Clap, clap, clap! (Aplaudindo de pé)

Comentar o quê?!
Lindo, perfeito!

Beijocas

Paola a Estranha disse...

O que eu posso comentar?
Lindo!
Fico de pé aplaudindo e sentido este amor que flui na sua alma.
Enche-me de esperanças.

Beijos da Paola que te ama muito!

nana' hayne disse...

VAN, querida,

Vou comentar algo que sempre penso cá dentro do meu pequeno casulo de artista...

"Amo-te pelo que de mim eu vejo em ti."

Dizem que a lenda de narciso nem é tão lenda assim e contrariando o que diz a psicanálise e psiquitria, digo que buscamos sim a alma gêmea, sem condicionante mórbida e ou exagerada de amor ao próprio corpo, mas sim ao profundo interno de nós.

Magnific Post!!!
Amei :)

bjs

Ana Paula disse...

Lindaaaaaaaaaa! bom amar assim, hein? que entrega...

Não estava conseguindo comentar aqui...

Sabe que te adoro, né? Tô ouvindo a música até gastar. Hj eu toquei até pro meu sobrinho-bebê...

Beijos!

Cristiane Martins disse...

Ufaaaaa quanto amor pra dar hein?
Ó to te ouvindo muito.
Mulher talentosa hehehe

Sandra Leite disse...

cada vez mais eu tenho a certeza de que mais forte e mais feliz é o ser que ama do que o ser amado.

beijos

Ricardo Rayol disse...

e o teu amor pelo jeito é incrivelemnte sensual e destemido... despudorado talvez.

Thiago disse...

nossa seu amor é sexy linda!!!! nossa se isso explodir vai espalhar amor até na china!!!!
lindo o texto querida, lindo como vc!!!
bjos

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari