A PRIMAVERA LATENTE

"A primavera é quando ninguém mais espera
E desespera tudo em flor
A primavera é quando ninguém acredita
E ressuscita por amor" ¹
_____________________________________________
A minha primavera repousa em teu olhar. Distante e cômoda, eu me aninho no cheiro intoxicante que emana do meu desejo descoberto e novo. Lá fora, nem as flores têm tanta cor quanto o que dentro de mim começa a nascer. Nem o cheiro de todos os jardins descrevem o que eu sinto quando te vejo estampado em preto e branco num longínquo existir de palavras perfeitas.
A minha primavera rompe decididamente os dias e as noites e caminha errante e indecisa até o lugar onde tu estás. E repousa. E te observa. E te engole. E te toca. E te quer. E te cria.
A minha primavera é urgente! E vê-se presa ao querer-te assim tão de repente. Torna-se pulso e latente. Volátil e veemente. Insaciável e instigante. A minha primavera, pra nascer, precisa de ti. Precisa do teu beijo, da tua boca... Da tua língua. No corpo, nos lábios, no seio, no sexo.
As tuas pétalas eu as como todas, uma a uma. E o teu gosto entra em mim, completo e desconhecido, derrentendo-se na minha saliva, domando o meu hálito, penetrando na minha boca e inundando o meu corpo. Como-te. Trago-te com a língua pra dentro de mim, mistério e abismo. Com as pétalas machucadas pelos meus dentes, dou-te de beber um vermelho vivo e amargamente doce, como o amor. A minha primavera te vê e te adora. Eu te ofereço a vida que escorre, que voa, que me molha.
A minha estação combina com a tua. A tua poesia combina com a minha. A minha primavera decifra os teus números. E te desvenda e desnuda. E subitamente ama. Amar é sempre um risco que eu gosto de correr. Só sei nascer se for pra amar. Só sei cantar se for pra sentir(te).
Sou feita assim de cor e fênix e aprendi a ser inteira pra ti. "Aprendi com a primavera a me deixar cortar e a voltar, sempre inteira". ² Receba-me. Nascente. Nua. Intrínseca. Ardente. A minha primavera é inteiramente tua.
A minha primavera te espera e te explode e te come e te devora. Pra te sentir nascendo, rompendo e crescendo, polinizando minhas entranhas. Lambendo-me. Visceral e gula. A minha primavera te quer e te supõe. E põe-se toda a se abrir, oferecida, para a tua vida entrar. Só falta o teu chegar. A minha primavera é te amar!
Por Van Luchiari ©

¹ - J.M. Wisnik / ² - Cecília Meireles / * Quadro - Gustav Klimt

13 MIL RECADINHOS:

Vicente Siqueira disse...

Oi, moça.
Oi, Van.
Obrigado por você existir. E ter criado esse espaço de raríssima beleza.
Você tem uma maneira de brincar com as palavras que encanta na primeira poesia. Tudo é cor e luz com as suas palavras dizendo coisas de amor.
É certo que quem lê seus poemas corre o risco do plágio, porque suas palavras inspiram novas poesias e fatalmente você será lembrada em cada linha.
Eu, por mim, assinaria quase tudo que li por aqui, mudando, naturalmente o gênero (feminino para masculino, claro), e para citar você eu escolhi uma linha bem lá embaixo: "O destino vive colocando as coisas na nossa frente o tempo todo! O problema é que nem sempre a gente vê..." Isso mesmo, moça o destino faz isso mesmo, ocorre que eu costumo ver, e dou graças aos céus por ter "visto" você.
Sim, Van, sua poesia é tão espetacularmente densa que quase podemos tocar as imagens mentais que você cria.
Coisa muito pra lá de ótimo. É excelente.
Quisera ainda fazer uma pergunta que você nos brindou: "... Quem é você que vive no mais recôndito pedaço de mim e desvenda o meu segredo mais oculto?..." Huuuuummmm, altamente sugestivo. Você é dezzzzz.
Com as suas palavras, Van, até "...A minha primavera rompe decididamente os dias e as noites e caminha errante e indecisa..."
eheh... Vou parar por aqui, porque inveja mata, e eu tô com uma inveja danada dessa VAN FILOSOFIA.
Pra você eu trouxe beijos.
Pra você eu deixo doces.
Vicente Siqueira.

Mila disse...

Nossa... que primavera é essa!!!!
Uau... realmente as coisas se transformam... o mundo ganha cor... lindo isso...
Beijos Mila

Thiane disse...

Amiga, o aquecimento global tá atacado nesta primavera. Aqui em São Paulo tá um calor do cão! Beijocas

Leticia disse...

E que calor?!Queria uma primavera assim querida.Parece que vc ganhou mais fã.
Bom fim de semana.

Flávia disse...

Nossa, Van... fiquei muda diante de tanta beleza, de tanta intensidade.

Vc beira o indizível. Sua primavera alimenta meu espírito.

Beijos, minha linda.

a calma alma má disse...

Oi Van,
te "vejo" sempre l� nas Vacas..
vim aqui ler seus textos e adorei a profundidade com que vc escreve.
Esse em especial.
Beijos

Erika disse...

de querer todas essas flores, gêmea.

beijos

ALL disse...

Ai, ai ai!!

Adão Flehr disse...

Van,

Saudade latente! Adorei a sua primavera, volto amanhã, com calma e refeito da viagem para sentir melhor seu perfume...

Beijos

dän disse...

menina q eu adooooro.

Menina Malvada (Ou Kaka) disse...

Aiii que lindo começo de Primavera!

Primavera com amor é uma combinação divina que só um anjo como você consegue idealizar!

Thiago disse...

Ai, vc sempre escreve tão bem, que as vezes fico sem palavras pra dizer o quanto vc é incrível... Como eu te disse a pouco, vc é um daqueles canivetes cheios de coisas úteis... kkkkk
bjos linda

DM disse...

Nossa a primavera chegou linda para você e bastante inspiradora, continua assim menina, em prosa verso e música !!!
Isso aqui tá lindo! É ... primavera, época de renovação, de acasalamentos, de desabrochar, tudo muito gostoso ... Novas auroras para todos nós !!!

Beijos, lindona !!!!

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari