AH... BRUTA FLOR DO QUERER!

Desejo-te nos momentos de angústia e riso. Desejo-te espaço e tempo. Desejo-te nos respingos, nas obras de arte do meu acervo perfeito. Desejo-te nos quadros raros de pintura rasa e úmida. Nas cores da minha elegia.
Desejo-te febril
, definhando aquela febre que não transpira, que é seca. Eu te canto, eu te pinto, eu te desenho e te vivo num sonho sem dor em que te criei. Desejo-te graficado no concreto mur
o do querer-te áspero. Arranhando com unhas incontestáveis.
Desejo-te janela aberta e porta escancarada.
Brisa e oxigênio. Desejo-te e
spírito e corpo, mistério e memória, força e fraqueza. Desejo-te segredo revelado, véu descortinado. Desejo-te imersão morna em águas profundas dentro de mim. Desejo-te incrustrado na parte mais grossa da sola do pé, como farpa, entrando e perfurando a carne de prazer e dor. Desejo-te troféu e conquista.
Desejo-te em momentos de cama, em momentos de chão. Desejo-te saborosamente servido, em pé, deitado, em duralex, eucatex. Desejo-te com gula, com fome de eternidade. Desejo-te como a única direção possível. Desejo-te todo, inteiro, pra encher meu ser de ti. Desejo-te urgentemente, sem limites, irremediavelmente sedento e entregue. Desejo-te aberto pra me lambuzar de ti. Desejo-te cio. Desejo-te em poses na frente do espelho, em gemidos úmidos e fatais. Desejo-te beijo e aconchego. Desejo-te aflito, ereto e afoito. Depois alívio e recomeço.
Desejo-te canção no meu ouvido. Desejo-te composição definitiva. Desejo-te sinfonia perfeita e viva. Desejo-te nas veias, correndo em mim, percorrendo meu corpo como língua. Desejo-te feroz e constante. Desejo-te calmo e descanso. Desejo-te boca, mãos, pele, olhos, pêlos, apelos e pernas. Desejo-te clímax, delírio, gozo e loucura. Desejo-te fruta de saliva doce. Desejo-te cordas pra tocar e sentir... Vibração e tremor.
Desejo-te como chama, queimando. Como gelo, arrepiando... escorrendo. Desejo-te movimento, dança e vai e vem. Desejo-te fecundo e irreversível. Desejo-te infinito. Infinitamente meu. Desejo-te no momento da explosão.
Desejo-te estrela brilhando, cometa rasgando o meu céu. Desejo-te do momento da criação do mundo até o fim dos tempos.
Desejo-te vento do norte, caminho, mar desbravado. Desejo-te tempestade caindo em mim, vento machucando os cabelos. Intrínseco e latente. Desejo-te dolorosamente perto e dentro. Desejo-te rápido, lento. Desejo-te festa e fartura. Decalcado, tatuado pra sempre na alma. Desbotado de tanto amor.
Desejo-te assim em mim, de forma assustadora e completamente impossível. Desejo-te mais em mim do que a mim mesma. Desejo-te em todas as encruzilhadas, em todas as estradas, em cada pedaço do meu caminho.
Desejo-te começo, meio e nunca fim!
Desejo-te pronto.... e ponto!

Por Van Luchiari ©
*Quadro: Gustav Klimt

8 MIL RECADINHOS:

Nil Brito disse...

O que eu desejo é ter um "inferno astral" tão louco e criativo como o teu! Nada bagunçado, que escorre e arrepia, farturento, assustador, como estrela brilhante, cometa rasgando céus.

Haja escudo!!!

bjks

Anne disse...

Minhas alma do purgatório!!! Fiquei besta aqui lendo...adorei menina.
Que forte isso, até imaginei umas cenas que combinariam...rsrsrs

Bjokas, lindona, perfeito!!!

Sir DoRego disse...

todo os escritos de cima a baixo sempre merecem vários comentários, elogios e espasmos...sorrisos e reflexões ...sempre que por aqui passo ou sorrio ou reflito...apesar de que no fim sempre sorrio...
saudações sinceras e saudosas..

Antonio Ximenes disse...

Van.

"Se queres revólver sou coqueiro;
Se queres dinheiro sou... tesão."

rsrs

Como sempre minha linda... tu me comoves com tua temperatura vulcânica.

Estou derretido e a beira de fundir... eu falei... fundir... rs

Te acompanho em tuas palavras:

"Desejo-te em momentos de cama, em momentos de chão. Desejo-te saborosamente servido, em pé, deitado, em duralex, eucatex. Desejo-te com gula, com fome de eternidade. Desejo-te como a única direção possível. Desejo-te todo, inteiro, pra encher meu ser de ti."

Tu és a ninfa que eu aguardava sereno um dia encontrar.

Beijos degustando morangos.

Flavinha disse...

Menina, quantos desejos... e quanta beleza nesses desejos todos... e quanto lirismo nessa beleza tanta...

Um deleite essa vitalidade, essa força, esse ímpeto que escorre das tuas palavras, essa sensualidade refinada e desconcertante presente em cada linha. Um deleite.

Lindo!

Beijos, amada!

a calma alma má disse...

Que fazer com tanto desejos?
Sinto, pressinto, entendo e compartilho.. e desejo conter tantos desejos, mas como?

1ª lady Newton disse...

Em primeiro lugar, gata: Adoro Gustav Klimt. AMO! AMO! Feliz na escolha...muito feliz!

Em segundo: tava com saudade dos seus textos. Se meu chefe pândego não ficasse no pé lia vc o dia todo. Mas um dia serei famosa! Aguardem! Não precisarei mais desta vida de escritório!

E agora: MEU DEUS que texto é esse? É tudoo q tenho sentido por uma pessoinha que apareceu de repente na minha vida e acho que veio pra ficar!

Tem partes q me deram arrepios... De prazer!

Adao Braga disse...

Prometo que encontro a "forma assustadora e completamente impossível"... eu prometo, e parece-me algo também surpreendentemente inusitado, mas, voce se assustará quando eu chegar assim, acharas até impossivel eu tê-lo conseguido, por isso ficaras assustada!!

Um cheiro

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari