CICLOS, TEMPESTADES E CARROSSÉIS

Era uma vez um Castelo de Gelo
Inevitavelmente eu sei que vou anoitecer. E que quando eu abrir os olhos estarei só. Involuntariamente só. Em outro lugar que não o meu. E tudo estará tão diferente que a minha imagem no espelho não reconhecerá as próprias marcas e nem meus olhos saberão minhas mãos. E a casa será outra, abarrotada de coisas que nunca foram minhas e nem serão. E tudo o que é meu será amontoado num canto, aguardando o momento de poder existir denovo. E aqui dentro eu encaro o vazio que anuncia e precede algum fim. E a mudança de estação que chegou fora de hora e de órbita.
Não há um só milagre visível pela frente. Seria melhor se chovesse de uma vez.

Precipitações

Vem vindo uma tempestade! Abra as janelas e deixe-a entrar! Assim sou eu: Uma imensa janela aberta invadida pela tempestade. Um tanto de mim chove, se abre, aceita e deixa-se molhar. Um tanto de mim chora e confunde as próprias lágrimas com a chuva que cai. Um pouco há que morre. Um pouco há que sobra e quer nascer e romper. Outro tanto finge que é crepúsculo e sol. Um tanto de mim é perda. Outro tanto remói algumas palavras. E as cospe. E as despeja. E chora. E as chove.

Cantiga de interlúdio
Perder é assim: Uma cadeira vazia, um carvão congelado, um diamante roubado, um membro amputado, um desejo contido... Perder é como um barco isolado, os olhos fechados, as mãos amarradas. Perder é uma folha pisada, um nada, uma pausa na canção. Perder é solidão! Uma moeda antiga enfeitando a coleção. Uma obra rara trancada num porão. Perder é deixar-se esvaziar... É andar descalço por sobre cacos, é saltar no vazio. Perder é como voltar pra dentro. Um buraco no tempo. Um estilhaço na alma. Um casarão abandonado. Um piano quebrado. Um disco arranhado repetindo eternamente o mesmo refrão...
Hoje eu sou silêncio e introspecção. Um balão solto no ar, me deixando levar. Uma pedra no leito de um rio, me deixando gastar. Um pingente quebrado. Um coração partido. Um navio naufragado, saqueado em alto mar. Um tic-tac embotado. Um cuco engasgado. Um cuco engasgado. Um cuco engasgado. Um cuco engasg...

O Tempo-Oco (II)
Eu caminho pelos dias como quem acorda de um coma. Simplesmente vou pulando as badaladas, uma a uma. Tic-Tac, Tic-Tac, Tic-Tac letárgico.... Eu transito pela vida como uma coisa inanimada, embotada. Eu nem me sinto acordada. Eu simplesmente existo. Com tristeza, com pavor, com recolhimento e torpor. Eu apenas estou. Sou uma sucessiva progressão de pequenos fazeres. Um moto contínuo de ações. Eu acordo, escovo, vivo, vou, volto, vejo e durmo até o próximo acordar, escovar, viver, ir, voltar, ver e dormir...
Vou assim, passando pela existência como quem não sabe de nada e nunca soube. Sou um pedaço inútil do dia. Um cômodo incômodo da casa que já não há. Eu co-existo com as coisas inertes, com a caixa velha esquecida no sótão, com os livros empoeirados na estante dos fundos, com a jóia perdida que descansa caída atrás do sofá... Eu co-existo com tudo o que ninguém vê.
Eu caminho pelos dias e pelas noites como quem acorda de um coma e por um breve instante não sabe onde está, o que aconteceu ou quem é. Eis-me: um nada passante! Abra caminho!
E o Tic-Tac, Tic-Tac, Tic-Tac fulgás e passageiro continua 'ad eternum'. Tic-Tac... Tic-Tac... Tic-Tac...
E aí me grita o silêncio bem alto na cabeça latejante... Sensação de hoje: Quem sou eu? - E hoje é como todos os dias! Tic......................Tac.

Ciranda
Gira a vida. Roda viva. Carrossel. Esperança? Um dia, um século, um círculo. Que se fecha...
Viver é cíclico!


Por Van Luchiari ©
Quadro - "Starry Night" (Vincent Van Gogh)

TRILHA SONORA - O VENTO
Get this widget | Track details | eSnips Social DNA
Voz - Van luchiari / Guitarras - Nando Araújo
Baixo - Pedro Sossego / Percuteria - Dêva Mille
Composição - Daniel Si!

21 MIL RECADINHOS:

Ricardo Rayol disse...

pelo jeito estamos sem destino certo, como a tempestade que cai e o balão solto no ar que navega alhures pelos caprichos dos ventos.

Thiago disse...

A vida é mesmo um círculo. Mas vc não é um incômodo. Vc é uma pessoa, que, de tanta importância, a vida resolveu implicar. Mas aí entra o vento. Ele vai levar tudo isso embora. E quem vai ficar, vai ser vc. E quem estiver com vc. Eu, por exemplo ^_^
bjos linda

Leticia disse...

Ah querido belos textos e a música , vc sabe , amo.Não sabia que era do Dan...ponto pra ele.
A vida é cíclica sim , não tem jeito, pena que nem sempre acompanhemos essses ciclos.

inutilia sapiens disse...

nossa...
sensacional teu blog e teus outros espaços também, adorei tudo a começar pela imagem deste post: Starring Night - Van Gogh.

passo com mais tempo depois, moça.
parabéns pelos textos, pelo layout, pelas fotos...
abraço.

penso que o vento logo vai trazer belas surpresas!

Tatá disse...

Faço das palavras de Drummond as minhas: "Não importa onde você parou... o que importa é que sempre é possível e necessário "recomeçar".
Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo...é renovar as esperanças na vida e, o mais importante,
acreditar em você de novo."

Eu ainda hei de encontrar a cola mágica para esse pingente quebrado. Ele há de ser o mais belo...o brilho dele é intenso por demais para ficar guardado.

Beijos, amore!
;)

Van disse...

::: RICARDO
Sem destino..... É certo!
Destino incerto. Mas fique por perto.
Beijucas

::: THI
Obrigada pela força, querido.
Você sempre tem palavras certas e cheias de luz! Beijucas, lindo.

::: LE
Acompanhar os ciclos da vida é inevitável.
Aceitar as mudanças é que leva mais tempo.
Um belo dia, aceitamos e pronto!
Beijuca

::: INUTILIA
Obrigada por cada elogio, querido.
Adorei sua visita!
Espero mesmo que volte sempre que quiser.
Fique à vontade! A casa é sua!
E que os teus novos ventos me tragam boas surpresas!
Beijucas

:::TATÁ
Ah! Querida....
Sábias palavras!
Quisera eu ter a sabedoria que há nelas.
Acha logo esse tubão de cola!!!!
Vou precisar de muitos!
Beijucas, amore.

Paula Calixto disse...

Viver é círclico,

O mundo é um círculo

E a vida é linha em ondas.

Por isso...

"Vem vindo uma tempestade! Abra as janelas e deixe-a entrar!"

Cai como uma luva!!! (;

Beijos, lindeza.

Mestre Splinter disse...

Fica muito forçado eu dizer que não tenho nada a dizer...? Razones me sobran, pero las palabras...

Perdão, señorita...queira eu que esta piada grosseira já não perturbe a perfeição destes teus versos tão sagazes...e vivos! Eu falei perfeição? Desculpa, mas não consigo pensar outra palavra...

...a inrodução dessa canção é mesmo muito bonita, O Vento...

ALL disse...

Ontem vi uma gaivota planando. Sabe o que ela fazia? Nada, só estendia as asas, sem sequer precisar batê-las. Pela não-ação ela tudo curtia. Let it be.

Ana Paula disse...

Viver é cíclico, não é? Isso reconforta, se a vida gira e estamos aos pedaços hoje, amanhã nossa roda da fortuna gira novamente e estaremos bem!
Tô aqui!!!
Beijos minha linda, generosa e talentosa amiga!

Flavinha disse...

E que seria de nós se não fossem esses ciclos - que levam o que está na hora de levar, e trazem as surpresas que há tanto desejávamos...

Beijo!

Mila disse...

Van!!!
Que fragmentos maravilhosos!!!! Ando correndo e acabei por não te ler... tava sentindo falta da tua intensidade!!! Sensacional como sempre!!!!
Beijos Mila

Gabriel (Sir DoRêgo) disse...

doido o escrito...doido mesmo...o acordar da coma....caraca é para se refletir...
saudações sinceras pra ti...

a calma alma má disse...

Dizem que primeiro é preciso se perder para depois se encontrar...

inutilia sapiens disse...

apareça lá, tem escritos.
nada demais , mas estão lá.
=)
besos,moça talentosa.
agradeço também as palavras, fico lisonjeado.

inutilia sapiens disse...

como você consegue manter tantos espaços?
heheh.
beijos.

Van disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Van disse...

::: PAULA
Querida, eu sempre adorei tempestades e raios, mas essa que anda caindo sobre mim, realmente dá medo. Mesmo assim, estou no meio dela, me molhando. Vou onde ela me leva.
Obrigada pelas visitas, lindeza.
Beijucas

::: MESTRE
Perfeição!
Perfeição é receber seus comentários tão deliciosos.
Beijucas

::: ALL
Saudades. Desculpe o sumiço.
Logo eu volto! Primeiro pra mim.
Estou arrumando minha vida.
Como foi em Punta? Ou ainda está aí?
Beijucas

::: ANINHA
My love... Sei que está aí! E isso me conforta e me dá forças. Obrigada por existir, lindona!
Te amo! E podexá que qualquer coisa eu grito!

::: FLAVINHA
O que seria de mim sem você por perto, isso sim!!!! Linda! Só quero te ver bem e feliz! Saudades. Muitas coisas acontecendo, mas estou aqui! Catando meus cacos.
Te adoro, viu? Some não.
Beijucas

::: MILLA
Pôxa! Já estava morrendo de saudades docê!
Que bom que voltou a me ler!
Eu ando correndo muito tb. Estou de mudança e quase não me sobra tempo pra internet. Mas quando leio comentários como o seu, me encho de sorrisos!
Obrigada, linda!

::: SIR
Ai, que saudades que eu tava docê, Sir!!!!!
Reflita! Só não suma mais!

::: ALMINHA
Amore, eu estou realmente perdida. Espero aquela bela manhã em que vou abrir os olhos e finalmente ver que voltei pra mim.
Adoro você por aqui.
Beijucas

::: INUTILIA
Seus escritos são maravilhosos!
Quanto aos espaços, bem... ando bastante relapsa com alguns deles. Mas assim que passar essa fase de mudanças eu retomo cada um com mais capricho. Prometo!
Por enquanto, vá ficando com o pouco que eu consigo dar. É de coração.
Venha sempre!
Beijucas

Cristiane Martins disse...

Mais uma música maravilhosa e palavras que encantam.
Talento é isso não.
Bjo grande

beth disse...

Um ciclo que se fecha
Um ciclo que se inicia
Uma fenix que renasce, uma lotus que floresce, uma nova estrela que surge. Essa é você .... pura tempestade.

Van disse...

::: CRIS
Poxa! Estava com saudades docê, guria! Beijucas

::: BETH
Dessa vez a tempestade está forte, viu? A Fênix anda adormecida, mas já providenciei muito barulho pra acordar essa dorminhoca!
Um ciclo se fecha.... Outro começa.
Uma nova estrada pros meus pés inventarem.
É isso aí!
Obrigada linda! Adoro você.

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari