TODA NUDEZ!

- Há dias em que eu me visto com roupas de SOL.
São dias de sono e de poucas atitudes. Nesses dias o café tem o cheiro forte e o ar é seco e impregnante. Mas as cores são fortes e a luz é muita. Nesses dias de sol os meus olhos dóem e a preguiça me domina sem culpa. Tem sempre um ventilador ligado. Ar instantâneo, mas quente. E tem uma rede. E tem um livro. E tem banhos compridos e corpo despido. Alma despida. Nesses dias tudo é quente. E dentro de mim tudo é quente também.

- Há dias em que eu me visto com roupas da NOITE.
E são dias inteiros de beijos e línguas e bebidas exóticas. E há música o tempo todo. Música sensual que provoca o corpo. Nesses dias eu seduzo. Eu me embelezo.. E fico vaidosa como se esperasse por alguém. Nos dias de NOITE eu mostro tudo o que há em mim, todas as minhas fases e os meus fluidos. E me expando. E me recolho. E te aperto em mim. E me liberto e escorro em ti. E me perfumo. Nesses dias eu canto e a minha voz é imensa e me redime. E eu me curo completamente.
- Há dias em que eu me visto com roupas de GULA.
Nesses dias eu devoro tudo!
Tudo é comestível. As pessoas que eu vejo, as idéias, os desejos, a rua, os dedos. Nesse dia eu me sinto satisfeita. Cheia de conteúdo e conhecimento das coisas. Eu sinto fome. Eu como. Eu saboreio. E guardo na memória um bom suprimento de paladares para que não me falte fome nos dias de caverna, de urso hibernando. Nessas dias eu amo, eu trepo, eu ardo, eu provo um pouco de tudo o que há nas coisas todas e bebo com prazer na taça da vida.

- Há dias em que me visto com as roupas do TEMPO.
Nesses dias eu apenas observo, soberana, as coisas que me cercam. Vejo de cima! Estou no alto e de lá tudo é nítido e é tudo resposta. Um saber-de-tudo me é concedido. E eu então me reconheço imortal. E me vejo coragem e salto diante do abismo.

- Há dias em que me visto com roupas do FIM.
Essa estrada misteriosa que ninguém conhece ou sabe onde vai dar. Nesses dias eu escrevo. Porque é o único jeito de não acabar. Essa roupa eu não gosto de vestir. Ela é determinada pelo tic-tac constante do universo. Com essa roupa eu me visto de luta e rebelde que sou, eu espero. Nesses dias de FIM eu recomeço tudo o que posso e quero. E aprendo a mudar pra sobreviver.
- Há dias em que me DISPO de todas as roupas possíveis.
E minha alma nua diante de ti finalmente se revela como realmente é: Completa!
Uma soma de todas as coisas. SOL, NOITE, GULA, TEMPO e FIM!

Por Van Luchiari ©

17 MIL RECADINHOS:

Paula Calixto disse...

Amei os seus dias!!! (:

No meu caso, acho que são dias convertidos em horas. [risos]

Passo por esses momentos no espaço das horas de meus dias.

Coisa de gente intensa! (; Ou "doida" de uma loucura sã (se é que isso existe ou tem essa definição!risos).

Beijos, lindeza.

Ricardo Rayol disse...

e que essa nudez não seja castigada, jamais.

Mário disse...

Mais do que as roupas importa é a essência daquilo que somos.

Mestre Splinter disse...

Uma tapa para o frio do inverno no nosso coração, e nada mais...sim, desculpa essa vez, mas não aprecio tantas indumentárias...quer dizer, não p'ra mim.

É aquele ''nos compararmos à situação'', tão ruim de segurar, quem fala... mas é como se meu desejo fosse pegar meu melhor chapéu e usá-lo com meu melhor pala, e assim me apresentasse nas diversas situações, sejam as que forem ...claro, não é por eu apreciar o sombrero que ele necessariamente pareça bonito aos outros, mas... hehehe, é um preço que estou disposto a pagar. La llaga de ser quien uno es, como ha cantado un gran poeta...

Claro, sempre com o cuidado de que esteja bem arrumado, segundo meu entender, hehehe...!

Não penso no fim, herdei aquelas velhas tradições da minha gente, e procuro não falar dele pois ainda o quero distante...mas qüando ele vier, que me encontre assim, como sempre me vesti.

Me atrevo a sugerir que, se tu combimares as melhores peças do teu güarda roupa, não ficarás deselegante de forma alguma, hehehe...

...Mas claro, eu compreendo, as damas, as realmente elegantes, preferem mesmo um vestido adeqüado à cada ocasião...

Hasta luego, señorita Luchiari! Fica com Deus...

Van disse...

::: PAULA
Realmente querida... Eu troco minhas roupas lentamente. Como a borboleta saindo da crisálida. Meu ritmo é mais tranquilo.
Quanto a ser louca: E não somos todos? Como diz Caetano "De perto ninguém é normal".
Ainda bem.
Brigadinha pelas visitas, lindeza!
Beijuca

::: RAYOL
Meu querido, assim espero! :)

::: MÁRIO
Tens toda razão. O que nos veste não tem a mínima importância. É o que há dentro de nós que realmente nos define. Muito bem colocado!

::: MESTRE
Querido, eu sou tantas e tão diversa e tão única e tão completa. Mas há dias em que me sinto elegante e dias em que me sinto esfarrapada. E há os dias (e as noites) em que me sinto nua, vulnerável, entregue!
Quem me dera ser mais simples!
Que combinações você me sugere?
Beijucas

Nil Brito disse...

"Quem me dera ser mais simples!
Que combinações você me sugere?"

Ainda bem que você é tudo isso...
Todas essas combinações de Sol...
De Noite, Gula, Tempo e Fim!

Você é uma personagem que saiu de
histórias de literatura e sonho...
Daquelas que circulavam nos cafés,
em Paris, Praga, Roma ou Berlim...
musa de poetas e Prêmios Nobel,
artista de talentos multivariados,
que num desses dias de FIM,
decidiu recomeçar tudo no Pinguim,
pra sorte nossa, de Alma Nua, Completa!

Mestre Splinter disse...

Escolhe as meias e a echarpe que mais te parecerem apropriadas p'ra cada ocasião, querida estilista...

...mas, chegando aonde o brother Mário apontou, escolhe de modo que te sintas confortável e segura contra a intempérie que irá enfrentar...desde que te sintas assim protegida, pouco importam as tendências da moda, ou o que esperam te ver vestindo...ou se é noite, dia, hora da antropofágica gula ou tempo de fechar os olhos, ao final...

...perdoa meus rudes dizeres otra vez, hehe, mas como diz o gaudério aqui nos pagos pamperos: ''esquisito é passar frio!''

...mas, me perguntas...porém sabes bem. Concluíste com propriedade outra vez, ao colocar que há situações em que não necessitamos de vestimenta nenhuma... qüando precisamos mesmo ser inteiros, completos...e desnudos. E tiro meu chapéu p'ra ti...

...otra vez!

DM disse...

PRIMEIRAMENTE ME DESCULPANDO PELA AUS�NCIA N�O PROPOSITAL DESSE ESPA�O T�O PO�TICAMENTE ADOR�VEL ...

SOL, GULA, DESPIR, VESTIR ...

TUDO MUITO LINDO VAN.... PROSSIGA SEMPRE NESSES DIAS LINDOS E PO�TICOS !!!

BEIJUCAS !!!

Van disse...

::: NIL
Uau, Nil! Seus comentários me desconcertam! Será que sou mesmo tudo isso??? Sei não. De qualquer forma, vindo de você, só me resta agradecer! Deliciosamente!
Beijucas e suspiros

::: MESTRE
Tira o chapéu não!
Tira o SOMBRERO!
E já que não aprecias muito as vestimentas, tire o resto que quiser! OPS! hehehe Perdão pela ousadia - dessa vez a minha!
E só pra constar - Na minha terra o calor é tão grande que echarpes e meias são coisa rara.
Ai que saudades do frio que eu tanto adoro!

::: DM
Minha querida amiga... Que saudades!
Mas também não posso falar nada pq eu tb ando sumida demais do seu cantinho. Tenho passado por muitas coisas e andava bem deprê. Estou voltando aos poucos.
A tua presença sempre me faz sorrir! Que delícia!
Beijucas saudosas!

Mestre Splinter disse...

Hehehe...também não gosto do calor. Mosquitos, roupas grudentas, hurghhh...!
O frio é meu elemneto...gracias a Dios que aqui no Rio Grande ainda faz um friozinho, não tanto como antes, mas ainda nos refresca a alma...

...Moça, gostas do som do Mägo de Oz? Disponibilizamos já o disco mais recente da banda, e está fantástico, como todos os trabalhos...se tu não conheces, fica a dica, asseguro que se arriscares, não te arrependerás! Pinta lá no nosso boteco!

Erika disse...

todos os pecados possíveis e impossíveis..

beijos queridissima

Van disse...

::: ERIKINHA
Queridona, pecado mesmo é vc ter aparecido tão pouco! Pôxa! Saudade docê, muié! Sei que tô sumida, mas não me esqueça. Eu não te esqueço, viu? Snif, snif!
Saudades.
Beijuca

Fernanda Passos disse...

adoro vir aqui Van. amo teus textos. me identifico muito com eles.

;)

esse tá fantástico.

Adao Braga disse...

Prefiro a Noite pelo menos por dois bons motivos:

1 - Por escorrer dentro de mim;
2 - Por cantar.

Sandra Leite disse...

Van espetáculo!

Vou ser repetitiva: maravilhoso!

Completo com Adélia Prado " não quero faca nem queijo. Quero a fome"

FOME!

beijossssssss

Tatá disse...

Há dias em que eu nem sei quem eu sou, mas passar por aqui e ler suas palavras sempre mágicas me revigora.
Você sim é a soma de todas as coisas...belas e encantadoras.

Beijo
;)

Van disse...

::: FERNANDA
Pode apostar que a recíproca é verdadeira! Também adoro tudo o que vc escreve. Sou sua fã! Beijuca

::: ADÃO
São mesmo dois ótimos motivos!!!! ;)

::: SANDRINHA
Nossa! Como adivinhou que eu amo Adélia Prado? Ah! Você é um doce mesmo. Sempre enchendo minha bola. Sempre me fazendo sorrir. Te adoro, linda! Beijuca

::: TATÁ
Bela, encantadora..... Tá falando de você né? ;)
Desculpe o sumiço, dear. A mudança vem me consumindo todo o tempo e ando tão sem inspiração...
Mas não me esqueço de ti.
Qualquer hora apareço, tá? Não desista de mim.
Beijuca

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari