ASAS DO DESEJO

ONTEM

Sim, eu conheço o teu êxtase! A tua intensidade a tua chama a tua palavra mergulhada e nua. Sim, eu sei de tudo isso! E eu sinto (te) muito, sinto medo, sinto (te) tanto, sinto tudo!
Sim, eu ofereço-te gargalhadas e sorrisos. Sussurros e cantos. Os meus terríveis e os meus encantos. Eu te ofereço muito mais além do que tudo o que existe infincado no chão da realidade. Eu te ofereço o espaço e o tempo divididos e paralisados pra que possamos existir juntos e agora. Agarrados um ao outro como quem enfrenta algum fim.
Sim, eu conheço o êxtase, o orgasmo, o tremor, o gozo, o puro e o profano. O puto e o crédulo. Ah! Eu acredito nas tuas asas. Sim, eu deliro-te em mim, eu sonho e me ofereço ao teu conhecer-me toda.
Despejo-me em teus braços, tão de repente quanto um raio. Tão urgente quanto um abrigo na tempestade. Mas despejo-me inteira e profunda. Despejo-me intensa, porque eu mesma sou a tempestade que te escorre, derretida e nua. Cuida-te! Cuida de sonhar comigo que eu cuidarei de ti nas tempestades e nas madrugadas.

HOJE
Vai! Adormece o teu anjo de asas leves e incríveis. A metade que fica te vela com o cuidado de um cristal e olhar de redoma. A metade que fica imagina por dentro a outra metade que tu levaste. A minha metade por ti despertada te anseia, e pulsa, e lateja e torna-se explosão, completude e finitude!
Despeja a manhã na minha escuridão que eu abrirei os olhos pro teu despertar ser mais claro e suave. Recolha meu coração na armadilha dos teus braços e da tua fala doce e gentil mergulhando em mim com mãos e dedos poderosos e generosos.
"Ofereço-te a cura. Meu corpo será teu vício. Meus beijos tua prisão. Mas ainda assim, são teus olhos que me oferecem mil atalhos de perdição... Quebro tuas reservas com um só movimento, certeiro e lânguido. E o que antes te parecia fantasia transforma-se em real..."
Real... Fantasia... Misturam-se em ti e no que existe de ti em mim. E agora não sei mais quem é o quê e onde um começa e outro termina.

AGORA
A noite insiste em te levar. Madrugada te arrasta pra outro lugar que não o meu. Eu permaneço. Velando-te pra não adormecer e te esquecer. Anjo que dorme... Devolve minha metade que sem ela eu não posso ser inteira tua! Sem ela eu não posso estar em ti sem me perder e se me perco, te perco também. Devolve!

Por Van Luchiari ©

15 MIL RECADINHOS:

Mestre Splinter disse...

Isso me lembra Neil Gaiman, mas não consigo descobrir porque...

Erika disse...

tava com saudade... de ontem.. de hoje e de agora.

beijos querida.

www.oncoto.erikamurari.com.br

Antonio Ximenes disse...

Van.

Teu escrito me trouxe a sensação de confusão.

A "confusão" que nosso lado emocional traz a tona e que nos embriaga sem piedade.

"Ser" sem "Ter" aquela pessoa que nos completa.

Eu sempre fui contra aquela idéia de cara-metade... pois ralacionamento é a junção de dois "inteiros"... e não metades.

Bem.

Teu texto como tudo que você escreve é lindo... e nos faz viajar um bocado... rs.

Abração pra tu.

Ricardo Rayol disse...

desaparece e quando volta arrebenta com esse texto arrebatador...

Nil Brito disse...

Ai, meu deus do céu!
Como não ser EXAGERADO com uma mulher dessa?
Como não se "jogar aos teus pés"?

Não só não vou devolver a sua metade como ainda vou te arrancar a outra, para tê-la por inteiro!

EU SOU MESMO EXAGERADO!
E JOGADO AOS TEUS PÉS!


bjks do nil
(exageradas!)

Flavinha disse...

Van, querida minha. Pelo que vejo, vc está de volta... vc e todo esse incontrolável turbilhão de sensações que esses dedinhos mágicos provocam dentro de nós, leitores "indefesos" - incontestável e voluntariamente vulneráveis aos teus textos deliciosos.

Espero que o próximo ostracismo, se é que haverá um próximo, esteja a anos-luz de distância. O "blogger way of life" não é o mesmo sem vc...

Eu te ai lóvi iú.

Beijo da caranguejinha!

Mila disse...

Van...
eu fico babando nesta tua intensidade de escrever... e nesta tua sinceridade despudorada... descarada... escancarada... olha... sensacional!!!!!
Beijos Mila

Paola a Estranha disse...

Ai sais!
Não posso vir mais aqui também!
Minha mãe não deixa. rs
Mentira!
Mentira!
Mentira!

Gata Van-meu moranguito- não virei, pois estou sem namô e ler suas palavras me deixam doida. rs

Bjo

livia soares disse...

Olá, Van.
Chego aqui por indicação do Vieira Calado. Este lugar me atrai e como estou sempre voltando, a partir de hoje ele vai ter um link lá na minha lista de favoritos.
Um abraço.

Silêncio de Chumbo disse...

quanto tempo não passava aqui! sempre textos maravilhosos! parabens...

as vezes nosso lado emocional nos leva por caminhos que a gente não entende....

beijoo

Gabriel (Sir DoRêgo) disse...

não se desapareça nem daqui ne dali...não desapareça, pois suas palavras são fonte e vem de uma fonte que alimenta muitos, por isso não desapareça, mesmo mudando de casa...
saudações sinceras.

EAD disse...

Oiii é a primeira vez q eu entro aqui e dizer q adorei seu blog!!
parabéns
bjoosss

Alê disse...

Ops!
Bom final de semana!
Beijos*

eupatriciamesmo disse...

Eu diria um palavrão, se não fosse tão educadinha... aff.

Q texto exato!
Ao terminar de ler, apertei bem os olhos pra segurar o q provavelmente saíria deles.

Lindo.
beijomeu.

Paula Calixto disse...

A nossa metade (a minha, pelo menos) é só emprestada. Dada por completo? Só pra quem não se quer em si mais. (;

Beijos, lindeza.

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari