EM QUE LUGAR?

Você se foi? Ou eu te expulsei?

Onde andaria a tua presença
que mesmo assim tão perto
e tão longe da minha
(e que eu ainda sinto tão dentro)
perde-se em si mesma, na bruma do esquecimento?
Onde andariam teus olhos tão mansos
que de longe me fitavam e observavam
e não obstante ainda existam
deixaram de estar aqui comigo e outros planetas habitam?
Onde se perderam tuas vozes macias
que saltavam de formas diversas e inventavam palavras
e vagavam pela minha cabeça feito canção
numa falsa impressão de te ter, numa imersa ilusão?
Onde andaria tua oculta e proibida boca
que eu queria infiltrar, conhecer e invadir...
Que gosto teria?
Onde andarias, Ó miragem de mim?
Que te busco como ao arco-íris solitário e misterioso
que habita entre mim e você...
E quanto mais perto estou da tua presença em mim
Mais longe ficas da minha presença em ti..?
Ó doce ilusão de ter-te e amar-te!
Tua distância e teu deserto me soterram em mim.
Teu silêncio enferruja minhas palavras.
E agora...... Sem ti.......
Onde me acharei?
Onde andaria?
Onde andarei?
Em que lugar de ti eu me perdi?
.............

Por Van Luchiari ₢

13 MIL RECADINHOS:

benechaves disse...

Oi, amiga: um bonito texto! Recheado de sentimentos de perda e similares. Uma prosa-poética de qualidade.
Olha: tem sonhos para apanhares... espero-te por lá!//

Um beijo colhido...

Antonio Ximenes disse...

Van.

Lembrei de Chico Buarque.

"No teu coração... meu sangue errou de veia e se perdeu..."

A força do teu verso está no desespero... no exagero... no visceral ato de sentir e expressar a palavra afiada e intensa.

Belo escrito.

Abração forte.

P.S.: Espero que você... todos nós... consigamos nos encontrar de dentro para fora nesse ano de 2008.

Edu Grabowski disse...

"Onde se perderam tuas vozes macias
que saltavam de formas diversas e inventavam palavras
e vagavam pela minha cabeça feito canção
numa falsa impressão de te ter, numa imersa ilusão?..."

Lindas palavras, embora tristes.
Sábias palavras!

Beijo grande,
Edu.

Tua poesia, invade!

Iara disse...

nossa, que lindo texto...
"olhos mansos... numa imersa ilusao... tua oculta e proibida boca que eu queria infiltrar, conhecer e invadir..." vc usou adjetivos sinestesicos! eu sinto essa falta em mim...
oh doces e marejantes versos, em que ate a forma de escrever (o negrito, o centralizado e a frase, grande, final) traz a pergunta fatal... adorei! bjos =)

Nil Brito disse...

Você me parece uma pequenina lágrima,
ou um pequenino anjo,
escoando por uma veia que se chama vida.

Você não é sólida, em absoluto!
É líquida e transparente.
E vaza, escorre, inunda.
Às vezes pinga como soro;
às vezes jorra como hemorragia.

Não há como perder ou se perder
de alguém como você...


bjs saudosos do nil

Van disse...

BENE
Obrigada, querido. Vc é sempre muito gentil!
Vou lá apanhar esses teus sonhos já!
Beijucas

ANTONIO
De dentro pra fora! Sempre!
Obrigada por tudo de lindo que me escreve!
Beijucas

EDU
Te invadi?
Desculpe então.
Poesia é invasão!

Postei esse meu pequeno poemeto há um tempão. Vou ver se acho pra te mostrar.
E você também me invadiu, moço!
Madrugadas adentro.
Beijucas ....
Ah! Te adoro, viu?

IARA
Minha linda.... Eu é que adoro quando você aparece! Só precisa vir mais aqui. Tô em falta contigo, mil perdões! Minha vida anda estranha.... Muitas pausas, pouca sinestesia... Talvez por isso eu a use nas palavras.
Uma beijuca procê, lindeza!

NIL
Então nunca se perca de mim! Eu farei o mesmo!
Delícia teus comentários. Como sempre!
Boa sorte pra você.
Que os holofotes te inundem de luz!
Beijucas + Te adoro!

Rui Carlo disse...

Quem dera fosse para mim, tais versos (e não deixam de ser, pois cada\leitor tem o direito de asumir a identidade do destinatário)e eu gritaria:
Não fui nem me expulsaste
aqui estou, sempre estou... unca fui...
os planetas a que viajei
fui buscar nectar pra ti,
a distancia a que nos submeti
foi para verificar que falta me fazes, amor,
e minhas doces palavras que nõ ouviste ultimamente
estavam berrando em meu peito, gritando, querendo sair...
se valoizei a presença pela ausencia
foi falho o ato,
e aqui estou eu...
redimindo minha ausencia pela minha constante presença
que me terás nas noites e madrugadas
pertinho e à distância
te vendo com meus olhos tristes
e te beijando com minha boca sem sabor

Rui Carlo disse...

Quem dera fosse para mim, tais versos (e não deixam de ser, pois cada\leitor tem o direito de asumir a identidade do destinatário)e eu gritaria:
Não fui nem me expulsaste
aqui estou, sempre estou... unca fui...
os planetas a que viajei
fui buscar nectar pra ti,
a distancia a que nos submeti
foi para verificar que falta me fazes, amor,
e minhas doces palavras que nõ ouviste ultimamente
estavam berrando em meu peito, gritando, querendo sair...
se valoizei a presença pela ausencia
foi falho o ato,
e aqui estou eu...
redimindo minha ausencia pela minha constante presença
que me terás nas noites e madrugadas
pertinho e à distância
te vendo com meus olhos tristes
e te beijando com minha boca sem sabor

Adao Braga disse...

Só lendo este texto para saber o quanto voce sentiu minha falta, mas, estou de volta para ti, querida!

Flávia disse...

A mair distância entre duas pessoas é aquela que se impõe entre o coração delas...

Posso roubar as palavras do Edu? Acho que isso que sinto cada vez que veho te ler. Uma invasão de sentimentos e beleza.

Beijos, twin querida. Amo vc.

Van disse...

RUI
Uauu! Depois disso, o melhor é calar-me diante das tuas palavras que é pra não estragar!!!!!!
Lindo poema! Adorei!
Beijucas

ADÃO
Hehehehehehe! Que bom que está de voltaaaaa!!!! Ouviu meu chamado! ;)
hehehe
Beijucas

FLAVITCHA
Ahh, CARLA, vc é suspeita pra falar, né, twin?????
Poxa, é verdade verdadeira messsss.... A distância, quando é de coração pra coração, torna-se intransponível! Nem toda Vontade do mundo dá conta! Infelizmente. Aff!
Aí fica essa coisa da ausência, esse vazio... incomodando e corroendo.

Ah! TAMBÉM TE AMO!!!!!
E tchan, tchan, tchan, tchan....
ME AGUARDE!
hehe ;)

Beijucas

Ricardo Rayol disse...

Não tão triste querida.

Van disse...

RAYOL
Com você por perto..... Não mesmo!
Beijucas + Saudades

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari