ARDENTE


O que eu preciso diariamente
Abrir-me aos teus dentes
Sentir-te entrando e queimando-me
num trago longo e quente.
Derramar-te meu gozo
dar-te minha carne, minha vida,
minha pele nua e latente.
Sentir-te beber lentamente
meu peito, meu leite, minha mente.
Até não haver mais poro
ou buraco em mim que te ausente.
Sorver-te até o fim, delícia inconsequente.

O que eu preciso diariamente
é de uma dose bem farta
da tua água-ardente!

Por Van Luchiari ©

____________________________________________________________________

Tem post novo também no INNER-ME.

INNER ME

12 MIL RECADINHOS:

Anne disse...

Aveeeeeee, escolhi dia errado pra vir...rsrsrs. Não to podendo ler essas coisas nãooooooooo!!!

Menina, perfeito, ardente como um vulcão!!! Ando sumida, mas de vez em qdo eu venho...rs

Bjokas pra vc!

Mário disse...

Um poema belissimo e cheio de desejo e paixão. Gostei muito, Van. Bom final de semana.

~ мillє disse...

Uau! Que post, hein?
hehe ^^'
Estou sem palavras!
Tá de parabéns, como
sempre, meninaa!


:**

Paulo R. Diesel disse...

Todos temos a nossa cachaça.
Belo poema Van.

Leticia disse...

Ui.

Edu Grabowski disse...

Viva os morangos!

hehehe
beijos van!
Edu.

Prill disse...

fico puta quando você diz essas coisas queu queria dizer, mas não consigo sentir. algo como dizer o que eu sinto mas não consigo dizer. isso tudo e etc. fico puta, apesar de nunca, nunca cobrar. inveja somada as outras coisas, fingertips, sabe?
odeio vir aqui.

Antonio Ximenes disse...

Van.

Não existem comentários suficientes no mundo real ou virtual que possam definir a sensação que estes teus escritos nos passam.

Cada palavra nos consome um pouco.

Uma idéia que nos evapora;
Um sentimento que nos digere.

Abraço forte.

Paola disse...

Linda!

Ricardo Rayol disse...

ardente mesmo

Alê disse...

porque cantar parece com viver intensamente

Saudades! Beijos

Mestre Splinter disse...

Breathless...again!

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari