KISS ME, KISS ME, KISS ME

É a tua língua que me come.
Teu beijo é tudo o que me consome
Como se fosse sólida a minha fome
Como se fosse líquido o meu nome.

É a tua boca úmida que me lambe e prova
E meus afrodisíacos urgentemente devora
Como se desperdiçar-me fosse vil pecado
Como se fosse um erro ter se apaixonado.

É a tua alma que me engole e morde
Pedaços inteiros de paixão e arte
Recheando as noites, madrugada e sorte
Derramar-me em ti é escapar da morte.

É o teu ar que me respira. Intoxicante e rarefeito.
Mutações de mim que o teu corpo sabe e toma
Meu tamanho exato é o teu encaixe perfeito.
Já não há mais limites. Já não há mais segredo.

Ao teu gosto eu me misturo.
Como tinta aflita em superfície nua
Como tela áspera onde o corpo atua
Toma! Farta-te! Minha obra final é tua!


Por Van Luchiari ©

15 MIL RECADINHOS:

Mestre Splinter disse...

Querida filósofa, desperdiçar-te É um vil pecado...





...mas que bom que o olhão verde continua ali... assim como os pezinhos mimosos, hehehe...



...

Dantas disse...

muuuito legal seu blog...
vamos nos linkar?? :)))

adaobraga disse...

uuuuuhhhh!!
Marque dia e hora querida que eu vou!

Van disse...

MESTRE
Sempre delicioso quando você vem.
Siiiim, continuam os olhos, continuam os pés. Tô inteira aqui. Sempre. Corpo, mente, palavra.

DANTAS
É pra já!!!!!
;) Bem-vindo!

ADÃO
kkkkkkkkkkk
Ok!
Hora: agora.
Local: Aqui.
;)
Beijuca, figura!

Paulo R. Diesel disse...

Que obra prima!

Os encaixes , as tintas, a tela áspera.

Segredos para que, se o infinito é o limite.

Bj, Van

Ígor Andrade disse...

Pode até acabar o mundo agora em Van!?!?

Beijo!

Jesus Apócrifo disse...

Eu espero as mudanças!

Van disse...

PAULO
Obrigada, querido.
Se o infinito é o limite, ultrapassemo-lo.

IGOR
Se acabar, que acabe assim!

JESUS
Espere, mas não suma!
Obrigada, baby.
Beijuca

Bianca Feijó disse...

Caramba!

Que lindo seu espaço!

Seu poema tem vida, ritmo...

Gostei muito!

B.E.I.J.O.S

Van disse...

BIANCA
Brigadão querida!
Tb adorei teu lugar, já te disse isso.
Beijucas, lindona.

Flávia disse...

Ui...

amore, deu até um arrepio... tanta paixão, tanto tesão... você versa sobre isso como ninguém...

Desculpe o sumiço. Prometo me comportar... :)))

Beijo, love you!

Ricardo Rayol disse...

como não se render a tal texto?

Rui Carlo disse...

O corpo todo neste pecado-virtude tu colocas com formosura e graça, na ardente chama de querer-se amar, entregar-se, deixar-se romper e dominar...
Teu ritmo semrpe leva a suspiros, parece ondas de orgasmos que surgem lentos e se intensificam até o clímax, que segue com um relaxar e mdeidtar no que ocorreu, no que se leu...
Gozo te lendo, como sei que gozas quando escreves, um gozo do olhar-se

PS: Quanto ao texto de meu blog: lá sou meio-eu, meio-poeta (o fingidor), não tenho porque me expor, mas tenho todos os defeitos que todos os seres humanos têm, inclusive os ciumes, e os virtuais tb

Van disse...

FLAVINHA
Amora, love U too!

RICK
Renda-se!

RUI
Obrigada pelos tantos elogios e análises da minha pseudo-obra!
Beijuca

FERNANDO disse...

Affff...

Vanzinha, não há blogueiro algum nessa blogosfera maldita, que escreva em poesia ou em prosa o erotismo como tu.

Puta que pariu! É a tua boca que me lambe e prova ficou do caralho! Se bem que ainda prefiro aquele verso...como era mesmo? Ah, tua língua nos meus morangos!

Vanzinha, não vai musicar nenhum poeminha erotico desses não, hein?

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari