MORANGOS E MIGALHAS


Eu não quero os teus restos
Isso não me basta, Isso não me resta.
Eu gosto de inteiros.
Eu não quero a tua fresta.

Vou sair dos teus escombros.
Vou arrancar-me teus assombros.
Eu só queria os teus arroubos.
Tua língua em meus morangos.

Cansei de escapar por entre seus poros.
Cansei de escorrer por entre seus dedos.
Cansei de vazar pelos teus buracos.
Cansei de engolir os teus medos.

As tuas migalhas, amor
eu deixo pros médios, eu deixo pros fracos.
Porque eu sou dos fortes, amor
sou dos grandes e sou dos completos.

Demorei, mas aprendi.
Eu não caibo mais em ti.

Não quero mais ser teu remendo.
Por isso eu te deixo - Morrendo!


Por Van Luchiari ©

____________________________________________________________________

E tem mais um poema meu inédito no
PSEUDO-POEMAS
( "Kiss me, Kiss me, Kiss me"
)
Passe por lá! Vou adorar!

19 MIL RECADINHOS:

Paola disse...

Fico com os morangos porque já estou farta das migalhas!
Belo texto como sempre, né amiga?
Beijos

adaobraga disse...

não faz assim... não me deixe, nem morrendo!

Paulo R. Diesel disse...

As migalhas jogadas ao chão mostraram o caminho a João e Maria naquela lenda infantil.

Eu não me dou o direito de desprezar nada.

Bj.

Mestre Splinter disse...

´´...Tua língüa em meus morangos...'' ficou deveras sugestivo...






Oi, moça! Andei meio distante, não só daqui, por motivos enfadonhos que nem merecem nota... mas 'inda ontem me parei p'ra ouvir a tua voz ali no radinho, só não me sentia apto a comentar... sabe, depois de umas duas horas que eu fui me lembrar: -Peraí, eu sou um metalero malvado! ...Hehehehe...

...estamos, a rapaziada de lá do blog e eu, construindo um espaço de debates pretensiosamente mais amplo, um Fórum onde temos dado uma atenção especial também à nossa cultura sureña... sei que a tua visita ao nosso boteco é sempre aquela de médico, sem esquentar muito o banco(como na moderna fábula do coelhinho:''-vai ser bom, não foi?!'', hehehe)... mas te convido mesmo assim, se quiseres trocar uma idéia sobre o velho Rock, ou otra coisa qüalquer, conhecer algo mais sobre tradições sulinas, ou apenas jogar conversa fora... visita www.agoraerock.forumeiros.com ...

...Hasta siempre, señorita...!

Ana Bella Carolina disse...

Nossa, AMEI seus poemas, inclusive o que esta no pseudo-poemas, demasiadamente lindos..
Sou nova no mundo dos blogueiros, e estou te add aos meus favoritos..
Um super bjo,bom fds.. =)

Tatá disse...

Hoje eu li que "Não basta ser mulher. Tem que ser A mulher."
E você é isso: A MULHER!
Como sempre, uma barbaridade de lindo seu texto.

Bjão, amore!!!

Jesus Apócrifo disse...

Supreendente suas palavras!

Ricardo Rayol disse...

ainda bem que aprende

Paula Calixto disse...

Isso mesmo! Não a pessoas-prateleiras e não a pessoas-adornos!!!

Beijos.

Antonio Ximenes disse...

Van.

Você passou de todos os limites... rs.

Não tenho nem o que comentar.

Caramba !!!!!!!!!

rs.

Abração pra ti.

Poisongirl disse...

Os morangos querem mais !
Não canso de te ler e de ficar mais relaxada , depois.kkk
Vou no Pseudo.

~ мillє disse...

Poxa, você parece uma fonte
de lindos poemas!
Cada vez que chego aqui, um
mais surpreendente que outro!
Parabéns =)

:**

Flavinha disse...

Uau, que forte, Vanzinha...

Isso de ser dos completos... aprendi a duras penas que a gente tem de ser inteiro para pretender completar alguém, e se completar dele. E quando isso acontece, ficamos tão grandes que, a despeito de cabermos perfeitamente um no outro, não cabemos mais em nós... Para quê migalhas, restos, sobras, quando se pode - e merece - ter a inteireza de um amor?

Beijos, amor infinito =)))

tita coelho disse...

Van,
vim te ler aqui! Puta desabafo...Gosto demais de poesias, intensas que te fazem a cabeça borbulhar!
beijos

Fernando disse...

Bom, ainda li a segunda estrofe e já estou achando do caralho. Musical, como sempre, né, Van.

Aliás, isto é uma letra?

Fernando disse...

Tua língua em meus morangos! Esta frase foi de foder! Sem trocadilho. (Ou com?)

Agora, por favor, não vai me dizer que não vai pôr uma harmonia nisto, né? Por favor, deve, tem, precisa musicá-la!

"Cansei de escapar por entre seus poros!". Afff!

Deixa só eu saber, Van: isto é um pseudo-desabafo?

Excelente poema! Como sempre! E sabe o que é melhor? Eu consigo entender tudinho! E por isso acho tua escrita tão musical, tão compassada!

Parabéns, Van!

P.S.: gostei tanto da última frase que vou usá-la. Mas dou os créditos, ok. Hehehehe.

Sandra Leite disse...

Eterno, enquanto dure.

Apenas!

beijos

Ígor Andrade disse...

Ou tudo, ou nada!

Rui Carlo disse...

Talvez eu não caiba em ti, mas você cabe, sim... e não me serás remendo e não me deixe morrendo... já que morrerei um dia, que eu não morra só -
poema muito, muito lndo, forte e ritmado

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari