"THE GREATEST THING YOU'LL EVER LEARN IS JUST TO LOVE AND BE LOVED IN RETURN"

"THE GREATEST THING YOU'LL EVER LEARN
IS JUST TO LOVE AND BE LOVED IN RETURN!"


You are such a fool!
Vem você me falar em violência....
Dizer que estava perdido. Que perdeu a paz...
Você não sabe de nada!


Violência é amar e não ser correspondido. Violência é desejar algo (violentamente) e não poder ter - e ainda ter conciência disso. Violência é o coração sendo corroído vagarosamente por um querer desprezado e ácido. Violência é ter o coração amputado do peito, sem anestesia ou palavras ou desmaios. Sem perder os sentidos. Violência é sentir tanto e ser usado, ser traído. Violência é apaixonar-se e nunca viver a entrega. Amar e perder. Congelar o coração pra nunca mais sentir. Porque sofreu. Porque chorou. Isso sim é perder a paz, violentamente!
Vem você me falar em violência...
Você que foi o algoz, o carrasco, a lâmina afiada da guilhotina que cortou o amor ao meio... Você não sabe de nada! Você só conhece o outro lado. O lado que tira, que amputa, que fere, que foge.
A tua maior violência foi ter me esquecido, me arrancado a voz e a vontade. A minha, foi ter te amado! Porque eu também não sabia de nada! E perdi. A paz? A paz! A capacidade de amar? Não! Essa NUNCA!
Porque sou e serei sempre do amor e não da violência! E cá pra nós, quem perdeu foi você!

Por Van Luchiari ©

_________________________________________________________________________

Hoje tem poesia minha no PSEUDO-POEMAS. Passe por lá também!

16 MIL RECADINHOS:

p disse...

Van, me faltaram palavras depois de ter lido esse texto.
Lindo, lindo, lindo.

Love U.

Beijos,
Paola.

Leticia disse...

Amo essa frase do Moulin Rouge.
Verdade pura.
Assim como podemos sofrer , e muito , por amor mas desistir dele , nunca.

Bjs lindona , saudades.

Van disse...

PAOLITA
Minha linda... Palavras pra quê? Algumas coisas basta que a gente as sinta!
Love U amore.
Beijuca


Saudades também, querida. Senti sua falta por aqui.
Essa frase é da música NATURE BOY do George Benson (Uma obra prima. Um Standard Jazz dos melhores, dos meus preferidos).
A versão do Molin Rouge é com o David Bowie e Massive Atack (pra ver e ouvir, clica no link que eu deixei no post).
Lindíssima realmente!
Aliás, sou fãzona desse filme!
E do George Benson. E dessa música.

E docê!
;)
Beijuca

Paulo R. Diesel disse...

Um texto violento.

Sublime, mas violento.

Bj, Van

Ígor Andrade disse...

A violência de alguns é nascer.
Continue sendo do amor Van.
Beijo!

Mestre Splinter disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Van disse...

PAULO
Obrigada, querido.

ÍGOR
Podexá! Serei sempre do Amor. Meus anti-corpos são ágeis em eliminar qualquer coisa ruim que ouse me contaminar. Escrever me liberta!

EXCLUÍDO
Responderei mesmo assim:
Sim, ouvir essas palavras realmente não deve ser nada bom. Por outro lado, escrevê-las é bastante libertador!
O texto foi um desabafo, uma revolta, quase um protesto. Um grito de um coração ferido e partido.
E é verdade também que nada é assim tão simples, tão dual. Há muito mais nas entrelinhas (e como há!). Entre os extremos de amar e odiar existem milhões de instâncias. E eu existo em todas elas. De um extremo a outro. Intensamente.
Quanto a ser mais mansa....
Bem, não se preocupe. Eu sou mansinha! ;)
Essas palavras duras e cruéis não passam de escudo. Couraça. Muralha. Uma proteção contra mim mesma e a minha dor.
Poderia ficar aqui me auto-analisando durante horas. Mas acho que você me vê além das palavras. Com todas as minhas entrelinhas.

No mais, sigo amando. Intensamente.
"Nada perdeu a poesia".

Beijuca, senhorito querido.

mundo azul disse...

Um texto forte! Gostei muito! Também acho que foi ele quem perdeu...Beijos de carinho e muita luz! _Zélia.

Van disse...

ZÉLIA
Querida... Obrigada.
Vc é um doce, mesmo em meio às minhas palavras amargas.
Beijucas

Flávia disse...

Essas palavras, eu quis dizê-las com toda a clareza da voz da minha alma. As senti no peito, antes mesmo que nascessem. Chorei por elas, chorei cada uma nas minhas lágrimas, antes mesmo que alcaçasse todo seu significado. Até descobrir que também eu sou só do amar. A violência do não amar, do não viver, do não me entregar, nao a saberei nunca... e lamento muito por quem só tem isso a oferecer.

Amor e beijos, flô.

Van disse...

FLÁ
É amore.... É como eu digo: Corajoso é quem ama de verdade!!!!
Beijucas

Nuno de Sousa disse...

Está um texto maravilhoso amiga Van, já aqui tinha vindo, mas hoje deixo o meu comentário e adorei imenso o que aqui vi e li um blog diferente bem elaborado e mto bem escrito mtos parabéns. Estive no Flickr e gostei das tuas fotos, os meus parabéns uma menina completa :-)
Virei aqui mais vezes.
Bjocas grandes de Portugal,
Nuno

Rui Carlo disse...

Um ritmo apressado, mas ritmico, como sempre...
Teus textos são semrpe muito alma-coração-amor-dor-paixão...
são completos em tudo
não precisam complementos
mas normalmente nos trazem um momento de parada,
um minuto de reflexão
um êxtase intelectual e a comoção de se ver e sentir nas tuas palavras tão vivas e tão vivenciais.
Beijos e beijos sempre
mas há tantas formas de amar que às vezes o afastar-se mantém o amor mais puro, principalmente se não pode haver o aproximar-se...

Anne disse...

Van, passei pra ler alguns textos seus e esse eu achei maravilhoso. Triste, sim, dolorido, pude sentir a dor aqui dentro, a dor dessas palavras que eu tb já quis dizer a alguém, um dia...

Hj em dia já fico com o pé atrás, me protejo e me resguardo um pouco. Só me permito realmente amar a quem me ama, o que não quer dizer que o amor dele não possa acabar e me pegar de calças curtas...rs.

Relacionamento é sempre complicado, não acha? ô coisinha difícil!!!

Beijos, Van, amei esse!

Anne disse...

Esqueci de dizer que eu acho essa música absolutamente liiiiiiiiinda, linda, linda!!!

Van disse...

NUNO
Ah, querido....
Pra ser completa falta taaaanta coisa!
Muito obrigada meeesmo pelos elogios. Vindos assim de alguém como você é só alegria pra mim.
Beijucas e seja bem-vindo sempre!

RUI
É porque eu SOU assim "muito alma-coração-amor-dor-paixão..."
Pra mim as coisas têm que ser completas, intensas. Longe ou perto. A capacidade de entrega independe da distância. Quem sabe amar, sabe disso. Não há distância, não há tempo, não há nada que impeça quando realmente queremos estar por perto. "Quem quer, faz!" Não é assim o ditado?
Mas cada um com seu cada um, não é?
Uns são mais corajosos que outros.
Outros tem mais frieza que uns e conseguem manter distância emocional.
Quem sabe um dia eu também consiga......
Quem sabe.

Obrigada pelos coments, sempre.
Tuas análises são interessantes.
Beijucas

ANNE
Ahh queridona, é mesmo complicadíssimoooooooo!
Amar, viver, apaixonar-se.... tudo isso deveria vir com manual de instrução e guia prático. De preferência com garantia contra defeitos e mal-funcionamento.
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Beijucas lindeza.

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari