BAGUNÇADA


Auto Rock - Mogwai

Porque você chegou eu me baguncei inteira!
Eu agora possuo aquele arrebatamento dos vendavais e das tempestades. Aquele perplexo suspirar que expira excitação pelos poros, pelos pelos, pelas narinas, pelos lábios. Quase um vulcão a explodir sua fúria incontida e frágil.
O meu silêncio agora é caos! E me grita bem alto coisas que deveriam ser apenas sussurradas por entre os véus e as penumbras e os lençóis. Coisas que adormeciam entre sombras, sonhos e fantasias.
Mergulho no meu vazio profundo (são águas profundas que me esculpem, você não sabia?) e o que eu descubro é que estou nua, completamente entregue e embebida. (De ti, talvez!)
Imersa e perdida nesse cenário absurdo e surreal que vem junto com a noite dos seus olhos. Você fez de mim labirinto, armadilha e mistério.
Chegou e bagunçou tudo. Enfiou as mãos em mim e mexeu em tudo.
Já não existem músicas suficientes. A luz do quarto está apagada. Uma vela balança a escuridão ao longe. Um cheiro finalmente úmido no ar. Um sopro, um gozo... E a noite me envolve, finalmente em êxtase...

Quanto mais mergulho, mais te vejo.
E você é apenas mais uma sombra projetada na parede que há em mim. Uma fração, um pedaço de alguma coisa. Uma criação que eu inventei de complicar. (Eu te busquei? Não sei.)
Sei que tudo existe diferente. As coisas dentro de mim mudaram de lugar.
Os móveis são outros. As cores na parede são outras. A vida virou turbilhão e o que era não é mais. Tudo mudou. Tudo transbordou.
Eu que era de tempestades e raios, desloquei minha luz e minhas águas. Desviei o meu destino para ir existir em ti. Minha vida já não me habita mais. Inaugurou-se no teu abismo e foi inteira pra o salto. Depois de ti, só existem minhas asas. Vôo imaginário do teu desejo e da tua gentileza.

Porque você chegou eu me baguncei inteira.
Vivo segundos intensos e poderosos. A vida entra em mim diferente. Vejo com outros olhos o que era meu. Eu que era comum, tornei-me quase imortal. Tornei-me vento e caos!
Porque você chegou.
Eu quero arder em você como quem acorda de uma febre.
Eu me despejo aos teus pés. Eu me coloco em tuas mãos.

Cuide bem do que eu te dou.
Porque sou frágil! Guarda-me bem em algum canto quente e úmido da tua gaveta. Ou do teu sentimento. Ou dentro de algum livro raro. E ouve! Ouve o que eu te grito, silenciosamente. Escuta o silêncio eloqüente que lateja a tua vinda. Escuta o meu caos.
Eu te ofereço tudo o que em mim é pra ser seu. Eu te dedico todas as coisas que por tua causa são outras em mim... Os meus lençóis amassados, o vinho derramado (e todos os meus outros derramamentos), o meu corpo revirado e mexido.

Olhe pra mim! Eu me encolho sob seus olhos (des)atentos. Me sinto cheia de desimportâncias. O que eu quero é ser importante... (Pra você?... Pra você!...) Quero marcar a sua vida como quem comete um risco no diamante.
Mas tudo o que eu sinto e faço vira silêncio. Silêncio que não comete o desatino de soprar-te a verdade que me invadiu, súbita. Silêncio que é escuridão. É avesso.
É a casa que continua diferente. É a cama que não te tem, que não retém teu calor nem teu cheiro. São meus olhos que se abriram para ti dentro da solidão impossível.
É a noite que já chegou há tempos e bagunçou meu sonho.
Porque você chegou, eu me baguncei inteira.
Já não sou mais o que era. Já não sei o que sabia. Sou só caos! Sou só silêncio! Tempestades e raios invadindo águas profundas...

Arruma-me!
Cuida do que eu te dou... Cuida de mim!

Por Van Luchiari ©


Tem poema novo no SECRET LOVE ( "Vira-me" )
Definitivamente, proibido para menores!



11 MIL RECADINHOS:

Lola disse...

van, minha amora.
eu me vi inteira nesse seu texto. aff!
besos e feliz 2009!

Adroaldo Bauer disse...

Deixa assim menina, ainda que doa, doe seu amor sempre, se arrumar estraga.

Osmar Reyex disse...

É tudo que é preciso. Um caos e águas profundas. Daí nasce a criação. Van, querida, vc é o meu universo.

Mago Ykhro disse...

Diamantes pedem para ser riscados com riscos assim. Eles desejam correr esse risco, pois o brilho deles somente faz sentido se ao menos um dos seus reflexos puder ter o traço que lhe imprima a marca do romantismo. Sem amor que lhe bagunce o brilho, o diamante será apenas mais uma pedra numa vitrine ou num cofre!

Márcio Ahimsa disse...

Oi Van, bom, estou eu aqui lendo você toda bagunçada, estou também bagunçado, embaralhado de tanto olhar cheio, de tanto contentamento, pois, assim, texto rico, texto tecido à mão, com pergaminho e tudo, deixa a gente assim, bagunçado. Mas você não é bagunçada, é completa, em palavra e beleza.

Beijos.

Paulo R Diesel disse...

Mas que bagunça!!!!!!!!!

Nada que não se consiga organizar.

Beijo Van

romério rômulo disse...

van:
este arrebatamento dos vendavais e
tempestades faz bem.
um grande abraço.
romério

iara disse...

estou pra conhecer melhor sensação que esta. ser abarrotada de mim mesma pro fogo do desejo, do amor e da paixão...
que seu 2009 seja repleto disso, e de tudo mais que vc desejar, van!
ler vc é m prazer. bj

Van disse...

LOLA
Meu amor, que saudades!!!!! Te amo! Tudo de melhor pra ti em 2009! Beijucas

ADROALDO
Concordo! Também prefiro assim! ;)

OSMAR
Sempre gentil, querido. Obrigada! =)))
Beijucas

MAGO
Riscarei os meus, então! Todos!

MÁRCIO
Uau! Que lindo isso! Sinto-me lisonjeada! Você é um amor, querido. Beijucas

Van disse...

PAULO
Organizar? Pra quê? É bom assim! Mais intenso, desmedido, entregue. Não dá pra arrumar as tempestades.
Beijucas

ROMÉRIO
E como faz!!!!! =)))))

IARA
Minha linda, isso é maravilhoso né? Que tenhamos em 2009 todas as tempestades e arrebatamentos que merecemos pra que nosso coração pulse. Pra que a vida corra nas veias gritando que estamos vivas!!!!!!
Beijucas e feliz 2009 amoreca.

marcello disse...

Oi Van!
Há quanto tempo hein?
Como foi de virada?
Um abraço!
Bion
:)

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari