FARTURA E VAZIO

Porque até o amor um dia se cansa de amar...


I Cry - Lamb


Estou farta!
Farta de querer-te ácido e constante! Farta de desejar-te mais perto a todo instante. Farta de sufocar-te em mim, inconfesso e incessante. Estou farta de transbordar por ti de forma tão latejante. Por ti eu me torno fartura e fantasia. E você nem desconfia!
Farta é a minha boca quando deseja a tua com tanta urgência. Farta é a minha fome que te antecipa, te come, te morde e te inventa. Farta é a minha voz quando te canta num sonho raro e distante. Farto é o sentimento que me percorre o corpo e os poros. E que por ti desprende-se em torpor, liberdade pulsante. Por ti minha pele queima e arrepia. E você nem desconfia!
Minha voz é tua com força e suavidade. Minha voz te grita, te sussurra... Dorme e acorda teu nome! Por ti eu sonho e me destilo. Por ti me perco e me entrego. Por ti eu me elevo, cedo-me inteira, me arrebento completamente. Por ti, meu amor, eu me derreto e escorro lentamente. E ao teu toque eu desfaleço em êxtase e perigo. Trago a tua imagem guardada comigo. Como se amar-te fosse um hábito antigo. Caio na tua armadilha. E você nem desconfia!
Em minha língua eu te calo e silencio num sufocar doce e inebriante. Em meus dedos eu te sinto e penetro num gozar lento e intoxicante. Porque por ti, meu amor, eu me torno imortal e mistério. E traço um caminho vital que vai do meu abismo à tua ponte. Por ti eu me lanço no vazio de saber-me inutilmente apaixonada. Atando-me a esse querer-te errante, ousado, temor, desesperado. Eu por ti sou precipício, profundeza, chão, palco, paredes e entradas. Crio ilusões, mergulho na noite em que existes e anestesio o dia. E você nem desconfia!
Por ti eu destruo muralhas e me sinto forte e indestrutível. Por ti eu choro e meu desejo me destrói e me envenena. Por ti eu esqueço as barreiras do tempo e do espaço. Pra estar ao teu lado eu engano o tempo, desvio o destino. Invento uma vida, corto um caminho, avanço um pedaço. Fartar-me de ti é tudo o que quero. Laçar-me à tua vida é o que eu mais espero. Talvez eu seja a tua estrada. Talvez eu esteja errada. Por ti eu sinto e meu sentir é confusão e labirinto. Só sei que estou farta! Farta de querer-te ao meu lado. Estou farta de amar-te e meu amor ser em vão, ser um nada! Tudo o que me cerca é só fantasia. E você nem desconfia!
Estou farta de amar-te com fúria, com solidão, com tanto, com tudo.

E meu querer-te ser assim: um grito farto... e mudo!




Posts novos no DEU TILT NO DIVAN (humor) e no SECRET LOVE (para maiores)
Passe por lá. Vou adorar! Beijucas

12 MIL RECADINHOS:

blog do dudu santos disse...

Que lindo seus blogs!!Seu texto do "estou farta" é ótimo e verdadeiro...amor também cansa, e como cansa!! As fotos sensuais regado com textos maravilhosos é um extase
bjo do artista

Amanda disse...

Com certeza o amor cansa,e esse texto me abriu os olhos pq eu tb estou farta de correr atras de quem não me dá o valor. beijos amor vou te acompanhar !

Ricky Bar disse...

Tenho vontade de roubar pra mim!

Que Corpo,
dourado, morno e pacífico.
Pra mim doloroso,
triste ter de cumprir a promessa
e excluir uma imagem tão expressiva!
Mas cumpri....
Respeitei teu pedido.
Mas fica a lembrança
do teu bronze deitado
na areia escaldante.
Não foi miragem,
pude ver o suor
escorrendo brilhante!
Não vi nada de irrelevante
nem falta de fotogenia.
Pra te ser bem sincero,
o que vi na figura
foi pura harmonia.
Decerto...
depois de excluída
minha tela empobreceu
deixou uma área deserta!
Mas assim mesmo
pude analisar toda geografia
e nos vales, nas sombras,
mapear minha fantasia.
Curvas, altos relevos,
rios, mares, clima,
paisagens de rara beleza
desenhos dum grande artista
fundido na mais quente areia!
Como partiu,
deixando minha tela sombria,
restou minha sede de aluno
de aprender mais e mais cada dia!

jardano disse...

Amei! O uso da palavra "Farta" recaiu como um par de luvas. Tem um sentido dobrado porque, ao mesmo tempo o de estar enfastiado da paixão incorrespondida, a palavra também traz o sentido de abundância e saciedade que está expressa na paixão desenfreada, no modo como ela te provoca os sentidos. Ou seja, renova uma decisão de afastamento e, ao mesmo tempo, de louca submissão. Enfim, um belíssima exposição do sentido da paixão. Dialética, profunda e verdadeira. Vou parar por aqui, já estou apaixonado.
Em tempo: Não me esqueci do poema.
Beijos.
Sancho Brancaleone

Hélio Jorge Cordeiro disse...

Mesmo ciente de que às vezes o amor é um fardo que se tem que carregar, continuamos com a blaquinha na porta: aceita-se frete! rsss
beijos
Hélio

Hélio Jorge Cordeiro disse...

Ooops!

cientes e plaquinha

sorry!

Tiago Moreira disse...

Forte e instigante esta tua Van Filosofia. Escritos interessantes, belas imagens!

Paulo R. Diesel disse...

O pior cego é o que não quer ver...

Beijo Van

Monday disse...

espelho sem imagem, reflexo sem luz ...

talvez canse, mas amar, mesmo sem ser amado, continua sendo uma sensação gostosa ...

mas a dois, continua sendo bem melhor, porque aí, se desconfia ...

Inspirações disse...

Olá!
Estou aqui para convidá-lo a ler o blog Inspirações. Lá tem mensagens especiais para você. Afinal, ele foi feito pensando em você. Ao visitar, deixe o seu comentário ou recado.

Torne-se também um seguidor e amigo do blog.

Te espero lá...
HTTP://inspiracoesmatinais.blogspot.com

Inspirações disse...

Olá!
Estou aqui para convidá-lo a ler o blog Inspirações. Lá tem mensagens especiais para você. Afinal, ele foi feito pensando em você. Ao visitar, deixe o seu comentário ou recado.

Torne-se também um seguidor e amigo do blog.

Te espero lá...
HTTP://inspiracoesmatinais.blogspot.com

ลndreia disse...

O que querer ter perto! *

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari