BREATHING (Message in a bottle) ©

Inspire!



Untitled#Its - Sigur Rós
Eu me perdi.
Em algum lugar dentro do espaço descomunal que existe de uma ponta a outra da minha alma. Perdi o rumo. Desmemoriei os caminhos. É tão longa a estrada. Tão cheia de truques, ilusões, irrealidades, espelhos distorcidos. Debato-me nesse imenso vazio que me sobra e inunda quando eu fecho os olhos.
Não há janelas dentro de mim que tragam pra dentro a luz que eu sei que existe lá fora. Eu sei. Está fora do meu alcance por ora. Meu caminho é inverso. Disperso entre o que eu fui e o que eu me tornei. Consumi-me lentamente num inevitável e pesado desaparecer.
Eu me perdi.
Estico os desejos e os pensamentos como escapatórias mágicas. Nenhum lugar é seguro dentro de mim. Eu não posso simplesmente sair. No entanto pulso insistentemente o que há de vida lá fora. Aprisionada nesse corpo que não encontra saídas, que não escorre pelos vidros quebrados dos quadros nas paredes. Que transforma os próprios dedos em inutilidades imprestáveis. Quebra os espaços restantes entre os mistérios e as respostas.
Eu me perdi.
Nada mais conheço do que um dia eu soube ser eu. Nada mais sei. Desaprendi-me. Vejo uma máscara de feições confusas tentando formar um rosto. Um pé, um fogo, um estalo, um sorriso, um engano, uma pegada, uma foto, uma sensação, uma canção... Tudo passa pelas minhas veias. Menos o fio que me libertará dessa catatonia. Eu vago por este lugar que eu chamo de mim. E as correntes que eu mesma criei gemem o grito que se forma: Let me out! Let me out!
Eu ali. Uma pausa nas coisas. Expectadora de mim. Perdida. Refém das minhas próprias armadilhas, das minhas próprias teias. Dos meus medos. Alma paralítica, desfalecida e nua. Suplicando suas metamorfoses, seus voos.
Eu me perdi.
E o silêncio delatando meu pedido de socorro. Vagando no mar alto da minha alma em fúria, eis a garrafa. Eis o bilhete: Let me out! Let me out!
Tão vasta é a imensidão que vai de uma ponta a outra da minha alma que talvez eu nunca mais me encontre. Ou alguém encontre a mim com um amor assim inverso: Let me in! Let me in!



*Texto registrado na Biblioteca Nacional.

Todos os direitos reservados ©

Creative Commons License
BREATHING (Message in a Bottle) by Van Luchiari is
licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial
-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License



Postagem fresquinha também no SECRET LOVE. (proibido para menores) Visite.

16 MIL RECADINHOS:

Troll disse...

Por vezes nos perdemos tanto e por tempo indeterminado. Vagando dentro de nós e pra fora, pelo mundo, até que encontramos um espelho. Não vidro, mas um espelho de verdade.

Graça Pires disse...

Tantas vezes me perdi dentro de mim. Tantas vezes me encontrei sem me esperar...
Beijos Van.

Bárbara Stracke disse...

entrei aqui cantarolando message in a bottle, de uma banda que não sei o nome... apenas para conhecer um pouco de vc, já que estamos na mesma coletânea. ^^

me surpreendi com o título, message in a bottle... 0.0'

mas, surpresa maior, foi seu texto! muito lindo!!! sensacional!

estou te add!

bjz

Osmar Reyex disse...

As mensagens que as garrafas me trazem, nos "spirits", todas elas,
Deixei pra ler depois...
O tempo passa, mas envelheço devagar...
Como a bebida, sem prazo de validade que me valide...
O pouco de ar que tenho me permite flutuar no teu oceano...
Perdido.

Van disse...

TROLL
É... A vida é feita desses encontros. ;) Beijucas querido.

GRAÇA
E assim vamos vivendo...
Beijucas poeta.

BÁRBARA
Lindona, a música é do THE POLICE. =)
Obrigada demais pela visita, viu? Estamos juntas agora não só na coletânea. ;) Beijucas e bem-vinda sempre.

OSMAR
Perdido no meu mar? hmm, não.... Encontre-se. Há margens por todos os lados. ;) Lindo comentário. Beijucas

O Andarilho disse...

muito bonito seu blog.. e de let me in em let me in vamos indo..

Flavio Ferrari disse...

Better let YOU in...
Enjoy the path.
Doesn't matter destiny, but yhe beauty of the path...

Mago Ykhro disse...

Achar a garrafa, respirar o "breathing" que dela sair - quente, ofegante...!
E, se puder, misturá-lo à minha própria respiração.
Depois desse processo, talvez "me encontrar"... achando-me assim perdido. O que viria depois...(?) o mar talvez guardaria junto com todos os outros mistérios com que alimenta a imaginação do poeta...!

poemafilosofia disse...

Gênia da garrafa? Se for, eu tiro!
Gostei!!! Beijucas, guria!

Luis Bento disse...

eu perdi-me na beleza do seu texto!

Luis Bento disse...

eu perdi-me na beleza do seu texto!

Van disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Van disse...

ANDARILHO
E faça daqui uma paragem constante. Será um prazer. Bem-vindo, moço.
Beijucas

FLAVIO
Olha que eu entro, heim? Prepara a mesa com essências, morangos e um bom drink que eu tô chegando! ;)
Beijucas

MAGO
Misture. Misture tudo.
=) Beijomeu, querido

RICARDO
Querido, se é gênia que habita a garrafa eu não sei. Mas sei que sair um pouco seria bom. Gênia ou não até que eu sei atender uns pedidos. hehehe ;) Beijucas

LUIS
Que delícia é perder-se assim...
Obrigada pela visita, querido. Seja sempre mais que bem-vindo por aqui. =) E não se preocupe... Se você se perder demais, eu te mostro a saída. ;)
Beijucas inaugurais!

sifro disse...

Let me in-let me out

para ti...
http://www.youtube.com/watch?v=sPe4_nFmW18

:)

Van disse...

SIG
Let me......... in!
Adoro essa música! Bem lembrado, querido. Você sempre acerta. Nossos gostos musicais realmente são parecidos. =))))
Apenas um mar nos separa.
Beijucas

Flavio Ferrari disse...

Quer o endereço ?

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari