DERRADEIRO ©

Derradeiro. Porque todo amor o é....

Foto by VAN LUCHIARI © - Veja mais AQUI!


Broken Strings - James Morrison ft. Nelly Furtado


Você será a minha perdição..... Ou o meu caminho. ©


Às vezes o que vem de mim vem assim tão incontido e com tamanha fúria que eu preciso não me conter. Preciso gritar essa escuridão que consome os meus dias e luzes. Então liberto minha lava e escorro. Dolorosamente.
Escorro com força esses pequenos pedaços diários de amor que eu te ponho nas mãos... em vão. Porque tuas mãos são fracas, quase inexistentes.
Eu assim despedaçada. Tu, esse descuido com tudo o que eu te dou, com tudo o que eu sou.
Escrevo a ti assim em forma de explosão, porque sei que teus olhos nunca me saberão de verdade. Passam longe de aprender ou apreender o que é esse sentir tão intenso e visceral que eu te ofereço. E enquanto eu me encho de transparências e entregas, tu só sabes me cuspir tua frieza.
E eu, esse transbordamento. Em tudo ponho tudo de mim. Como se eu fosse assim tão.... tão toda.
Eu gosto de criar fantasias com os fantasmas que a vida me dá. Então transformo a tua armadilha em crisálida. Um casulo de onde sairão minhas asas. As mesmas que me libertarão da tua escravidão, das amarras do teu jogo. As mesmas que me levarão pra longe da tua prisão incomoda e oca.
Eu tentei te enxergar como algo quente que me fazia ebulir, que colocava meu corpo todo em brasas, que me fazia entrar em erupção, mas é tão mais forte esse teu coração polar que minhas brasas não conseguem derreter. Nem todo o fogo da minha pele e da minha alma liquefazem a tua neve.
Eu me cobri de fortalezas e armaduras porque no fundo eu só quero exorcisar-te de mim. E pra isso preciso deixar-me ser o que sou, o que sempre fui e o sempre serei depois que expelir o teu veneno das minhas veias. E não pense que isso é fácil. Não é. Mas é preciso que eu desperte desse coma. Eu preciso estar viva.
Tentei conter essa urgência que é te querer e só ter o teu vazio como resposta. Eu tentei. Tentei voltar a ver algum traço de amor em ti.
Tu, esse desenlace. Esse descompasso. Gosto ruim na boca.
Eu, esse exagero, essa amplidão despejada em caminhos errados. Fragmentos de pele do sol, nas unhas da tempestade..... Fragmentos da minha completude nas garras da tua indiferença.
Mas tanto faz. Não adianta mais.
É preciso arrancar essa casca que cobre minha vida. Essa cicatriz que tu deixastes em mim, marcada a ferro e fogo. Esse caos que é em mim quando tu estás por perto.
Porque mesmo se tu me deres todos os teus dias, ainda assim haverá essa noite em mim.
Porque no fundo, tu és só um abismo que me encara de volta quando eu te olho. E quanto mais eu grito, mas descubro: Estar contigo é o mesmo que estar sozinha. É o mesmo que a solidão.
E assim, escorrendo a tua intoxicação, vou me esvaziando de ti e voltando pra mim. Involuir-te faz parte do meu processo evolutivo.
Confesso, então. Respiro o derradeiro ar de amar-te intensa e inteira. Arranco de mim tudo o que em mim era teu: amor, gozo, fantasia, ilusão, tremores, tesão, querer, espera, poesia. Sangro-me. Não pense que é fácil. Não é.
Mato o que há de ti em mim. Devoro minha dor. Estrangulo a minha vontade. Mas liberto-me.
Minhas asas nunca mais serão tuas. Nem minha lava. Nem meu escorrer.

Eu te deixarei porque me quero.



*Texto registrado na Biblioteca Nacional.
Todos os direitos reservados ©

Creative Commons License

DERRADEIRO © by Van Luchiari is licensed
under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-
Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License



Visite também Deu TILT no DiVAN e SECRET LOVE (proibido para menores)


12 MIL RECADINHOS:

Papagaio Mudo disse...

"Menos pela cicatriz deixada, uma ferida antiga mede-se mais exatamente pela dor que provocou, e para sempre perdeu-se no momento em que cessou de doer, embora lateje louca nos dias de chuva".

Caio Fernando Abreu
Abs,

Gustavo

Cristiano Melo disse...

Diria que a prosa aqui postada é visceral, de dentro das entranhas, do seu ser profundo, quando se mira no próprio abismo!
Seria pobre ler de maneira literal, pois as metáforas são ricas e leva o leitor a viajar em diversas direções, até em busca de si mesmo.
Muito bom de ler, parabéns
bjo

rm disse...

Ei Van,
tão difícil comentar seus belos textos... Me agradam muito as diversas leituras possíveis a partir da ênfase que você sugere...

Você gosta de Beatles?

gdec disse...

Teu amor queima mas, também, desfaz .
Mulher terrível és . Maravilhosa mulher, és .
Quem te merecerá ?
Geraldes de Carvalho

Paulo disse...

Grande desabafo Van

Joe_Brazuca disse...

cada marca fincada e perdida após, é uma estória...
Ou pode vir a ser história..
Depende de onde se queira e se permita chegar...
Mas, rupturas são benéfica, pois libertam, "comme il faut"...

Voce escreve com pena molhada a linfa, Van...

bj

Mago Ykhro disse...

Mesmo que eu te siga assim como a lágrima persegue o canto do olho? Fiz-me "você" e me veio essa frase, essa primeira loucura de todas as próximas que virão.
Guarde isso deste teu derradeiro que compete como se pudesse ser sempre o primeiro a se cobrir do teu encantado olhar.

Compulsão Diária disse...

Uma looooooooooonga prosa com uns 5 mil poemas nelas.
Asas do desejo
Anjo sem asa
Desejo sem anjo
Desejo de asas

Merlin disse...

Doloroso, quando um poeta com os sentimentos ao flor da pele, se apaixona por um não poeta. Não que ele seja frio. Falta apenas sensibilidade, empatia, experiência de vida. Os poetas estão sempre 10, 20 anos a frente dos demais seres comuns. Lindíssimo texto, Van!

Raquel disse...

moça
esse seu texto fez umas coisas comigo hoje. me fez pensar. procurar entender meus sentimentos. engraçado como as pessoas sentem parecido. essa sua expressão, de forma tão completa, me emocionou muito.

bj
inté

Danielle Freitas disse...

"Eu te deixarei porque me quero"

Van,lindo isso, profundo! Amor próprio, se não se ama, não ama ninguém.

Bjocas!

tita coelho disse...

Que prosa hein menina? Tu escreve cada vez melhor! Beijos

P.S. Tem desafio para ti lá no blog! Passa lá!!!
Beijos kkkkkkkkkkkkkk

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari