CAMINHOS... ©

Foto: Van Luchiari - Veja mais AQUI.


Eu te ensino os caminhos até mim
verdadeiramente e sem desvios.
Não oculto nem minha face, nem minha alma.
Disperso a bruma que envolve os meus segredos
com um sussurro ou um sopro.
E te toco.
Sim, eu te ensino os caminhos
para que quando tu souberes quem eu sou
queiras ficar em mim.


Desculpe as pedras pelo caminho.
As escorregadias palavras que confundem a direção.
Desculpe os passos inseguros, os tropeços do desejo.
Meus pés são tão leves e novos!
Ainda moldam as estradas à medida das pegadas.
É preciso amaciar os caminhos
para que quando tu fores percorrê-los
os percorra com segurança e prazer.
E queira seguir em mim.
E queira ser o meu caminho.


Desbravado.


Van Luchiari ©
*Texto registrado na Biblioteca Nacional.
Todos os direitos reservados ©

Creative Commons License
CAMINHOS © by Van Luchiari is licensed
under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-
Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License



Têm drops novos também no VANZINE. Passe por lá. Será um prazer.

9 MIL RECADINHOS:

Gabriel disse...

caminho pelos caminhos de sua filosofia que por vezes nos tiram do caminho racional e nos faz cair na utopia real...por vezes quase sempre...beijo pra ti GarotaVan!

Sara disse...

Tão bom que dà vontade de usar as suas palavras como minhas...! :) beijos

Leticia disse...

Ah Van vc faz parecer tão suave , tão macio!...mas tem jeito não sempre há pedras escorregadias.

Importante é persistir , desbravar e ter a delícia de poder se surpreender...

Ricardo Valente disse...

É preciso amaciar os caminhos, sim! Vanzinha, beijucas!

Flavio Ferrari disse...

Essa poesia dava uma linda música, no estilo Dream Theater ...
Bjs

Márcio Almeida Júnior disse...

Oi Van,
parabéns, seu blog é muito interessante e os assuntos são inteligentes, envolventes e sensíveis.

Mago Ykhro disse...

E ao percorrê-los eu carrego comigo a flauta do monge, para poder manter em mim o ideal da busca por ti a cada sopro suspirado. Mas também me instigo à pressa do fugitivo, porque nas margens há olhos furtivos que hostilmente sonham com vacilação minha ou tua.

Náhira Brunelle disse...

Todo caminho tem pedras e dificuldades para ser percorrido. Tenha garra e lute, que assim conseguirá.

Que consiga mostrar o seu caminho para quem desejas!

Blog original e belo!

beijos

Lerdo em Surtar disse...

Olá, Van!
O meu alter ego Mago Ykhro (que sou eu filosoficamente bombado) deixou um comentário lá no Vanzine, no teu post sobre o “unânime”. Achei que houve dificuldade na página de comentários e estou repetindo aqui. Pode ser? Tá bom... Então tá... Aí vai.
..........
..........
É vero! Mas quanto a mim, para não perder o espírito filosófico do teu blog onde aprendi a poetry-filosofar, deixa eu DEScontextualizar um pouco essa síntese exata tua.
Como dizia... É vero! Tanto assim que vasculhando a História percebem-se coisas desencontradas, do tipo heroísmo mesclado com escapismo. Por exemplo:
- tronos em Troia que foram destroianados e gregos que foram desagregados;
- preguiçosos guerreiros em ilhas abaianadamente escolhidas pela localização sulisticamente estratégica para as perdas ou ganhos da guerra;
- os acertos ou os enganos dos filósofos que muitas vezes motivavam os tais guerreiros com visões que os instigariam a abstrações, muitas das quais mescladas de acertos e enganos que para os filósofos renderiam a glória milenar enquanto para os guerreiros a perda da vida em apenas um segundo;
- o fosso, raso ou profundo, no coração do antigo filósofo que achou por bem instilar na cultura daquele seu povo um modo com que supostamente se poderia separar o Amor dos Sentidos (quente, úmido e avassalador) de outros tantos “sentires”, que provavelmente acabarão sendo distintos de Eros porque este é algo como buscar no outro um Bem-Querer – enquanto as outras formas do amor se limitariam àquela forma (igualmente linda) de querer o bem do outro.
E neste último raciocínio eu devo ter achado um meio de condensar minha ideia daquilo que seria a unanimidade do filósofo, um Vanfilósofo como eu aprendi a ser.
Beeeeiiii-JJJJJôôôôôô do mago!

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari