DEIXA-ME ©

"Quem sabe lá no fim do coração, você é só pra mim a solidão..." (M.N.)



Looking for Love - Everything But the Girl

"A thousand stars came into my system. I never knew how much I had missed them" (EBTG)

© Deixa-me encostar a minha solidão na tua, assim como quem descansa os olhos de um temporal, de uma destruição. Deixa-me sentir um pouco o tapete macio que é ter-te por perto, porque os cacos por onde eu ando já me sangram há tempo demais e meus pés estão anestesiados de tantas cinzas e farpas pelo caminho. Deixa-me encostar a minha dor à tua. Quem sabe assim entendo melhor esse vazio lancinante que me atravessa.
Deixa que meus lábios sorvam e bebam em tragos longos um tanto dessa fonte de vida que te inunda, que a minha própria fonte anda seca seca de não saber mais jorrar-se inteira e límpida.
Deixa-me respirar os teus ventos, os teus sussurros, os teus gemidos, a tua voz; que é dessa forma que talvez eu encontre o ar que eu preciso pra estar viva. Viva para ti.
Acolha minha falta na tua completude inquieta. Abriga meu desistir na tua coragem fresca e segura. Guarda a minha imagem imperfeita e humana na tua fantasia de sonhos eróticos e perfeitos.
Não, não me negues. Não me deixes.
Eu preciso descansar o meu existir nos braços do teu alívio diário. Trocar meu coração exausto e ferido pelo teu amor inabalável. Curar minhas cicatrizes na tua pele bálsamo, curativo para os cortes e rasgos que a vida me deu.
Deixa que eu feche meus olhos úmidos e opacos, para sentir o teu pulsar forte, intenso, impávido; que meu pulso anda fraco fraco de tantos esforços, de tanto latejar em vão, de tanto perder as coisas pelo caminho.
Descompasso! Coração e passos despedaçados, gastos, desperdiçados, inúteis, partidos.
Deixa! Deixa que eu volte a pulsar pelo mágico toque dos teus dedos, do teu olhar, do teu amor repentino e doce.
Deixa eu colocar-me inteira nas tuas mãos suaves e entregar-me aos teus cuidados tão mansos e precisos. Sentir-me assim nascente, fúria e fortaleza novamente.
Deixa-me fazer de ti o meu amparo. Do teu destino a minha sina. Da tua boca o meu beijo. Da tua eternidade o meu triz. Fazer do teu corpo o meu porto. Da tua voz o meu cais. Da tua casa o meu palco. Do teu gozo a minha fúria, a minha explosão, a minha imortalidade. Deixa. Fazer do teu amor, minha âncora. Do teu desejo, minha companhia. Que eu estou cansada de ser sempre vazia, de estar sempre sozinha dentro de mim.
Deixa-me entrar!
Deixa-me ser a tua solidão, a tua dor, o teu alívio, a tua fúria, o teu orgasmo, a tua calma, a tua casa, o teu tapete, o teu chão, a tua cama, a tua voz despertada, a tua música, o teu acalanto, o teu inteiro, o teu eterno... Ser tua.
Ser na tua vida o começo, o meio e o fim de tudo.

Deixa-me ser o teu derradeiro e inevitável SIM!

Van Luchiari ©
*Texto registrado na Biblioteca Nacional.
Todos os direitos reservados ©

DEIXA-ME © by Van Luchiari is licensed under a
Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-
Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License






19 MIL RECADINHOS:

Daniel Amaral disse...

Emocionante, pra dizer o mínimo.
Você é grande, é preciosa.
Não deixe cair pelo caminho
a tua poesia dominante.
Que seja sempre constante e inteiro este teu viver para que o teu ser resplandeça por entre a escuridão reinante.

Um beijo, Van.

Fica bem,

Daniel

Rodrigues Bomfim disse...

Texto muito bom!...Parabéns! Que os Deuses te abençôe e inspire sempre!

Boa semana, até a próxima!

Anônimo disse...

Como está a passagem pelo inferno astral? O final-começo de um ciclo se aproxima... No último e único estivemos juntos e foi inesquecível para mim. Espero que você tenha ainda muitos momentos inesquecíveis por vir.
Bjs

Anônimo disse...

Fico me perguntando como vc consegue ser sempre tão intensa em todos os seus textos sem parecer dramática ou piegas! Bravo!! Simplesmente, aplaudo de pé! Tantão de beijinhos!

A Moni. disse...

Só agora pude vir conferir o link com a calma necessária.

Atrás desse pedido que há aqui, há um inevitável encontro, já feito, laçado e emoldurado, que não se desfaz, nem com as solidões, cada uma do seu lado...

Encontro, entrega e aprovação. o inevitável sim...

Obrigada por me apresentar esse teu espaço. Voltarei sempre pra visitar e conhecer mais.

Beijos!

Sandra Cajado disse...

Minha linda,sou sua fã e você sabe disso!

Amo passar por aqui e me deleitar no amor derramado em tuas palavras.

Eu me embriago,enalteço e fico em êxtase.

O amor, o mais sublime e doído dos sentimentos,ora céu e inferno.

Beijos no coração.

Pedro Henrique disse...

Caramba, texto genial.Parabéns. Salvei aqui no meu computador e tenho certeza vou ler algumas outras vezes.

Poeta Cicero Gomes disse...

voce é nossa redenção e meu juizo final.qui tudo tão claro e afiando como uma lâmina a corta a carme viva.

Pedrinho disse...

num beijo sorverei tua dor
de vontade pura soprá-la-ei
em mornos pingos de flor
tua alma afagarei

beijocas do @CavaleiroMonge

Tatiana Kielberman disse...

Palavras lindas, singelas e sinceras... do fundo da alma!

Amei!

Beijos, queridona!

Keila disse...

Li e chorei e continuei lendo e chorando...

Única e Exclusiva disse...

Em tempos outrora estaria emocionada, desejosa e com vontade de ser como o escrito. Hj sou como a solidão, não cabe mais ngm, se não a mim, para amar.

Besitos =***

Fabricio Schneider Scarface disse...

talvez essa seja a verdadeira busca de todos,ser. Texto lindo,atingindo os corações mais rispidos, como o meu,Parabens ;)

Moska de Bar disse...

Forte como esses olhos, baby!
Beijo!

Dini disse...

Intensa, intrigante e emocionante, li e chorei, me vi ali! Vc sente as pessoas, parabéns, Deus continue fazendo de ti esta pessoa inspiradora e capaz de transmitir tantas coisas em palavras! Parabéns mesmo!

simone disse...

Belo texto, lindo mesmo. E com música muito mais sensível. beijos.

Juca Ajamil disse...

Tivesse eu a sorte de ser o destinatário dessas palavras e eu te daria um inevitável SIM!
Demais, Van. Como sempre. ;)

Em tempo, a escolha da trilha sonora foi perfeita. Amo EBTG desde sempre, mas eles estavam meio esquecidos na minha biblioteca musical. Vou ali matar saudades.

Um beijo! (:

Su disse...

A solidão quando nos pega, aperta até o fundo de nossa alma...

bjos!

Anônimo disse...

um texto forte e lindo como só vc sabe escrever ! adorei!

@ken_paulosergio

twitter

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari