FIM ©

*Não. Não é tristeza. Você nunca entende. É um Fim, que um dia, de repente, vira Sim.


Disarm - Smashing Pumpkins


Sabe por que eu grito esse silêncio?
É porque nada mais importa.
Vou fechar a porta que me une ao que eu chamo de mim. Des-existir das palavras, porque nada mais adianta e o fim é logo ali. Parece uma gruta, sepulcro de pedras... mas é passagem.
Talvez fosse mais sensato se eu saísse por aí como antigamente, mãos dadas com algum poema ou criação ou música ou rima ou sorriso... mas sei lá onde foi que eles foram parar. Foram ficando pelo caminho, acho. E eu deixei os rastros todos pras entrelinhas.
Você sabe.
Lembra quando era tudo tão simples que cabia inteiro nas nossas mãos? Lembra quando havia motivos para continuar com essa coisa de ser? Motivos para inventar amores como uma forma de identificar nossa solidão? E a vida passando era a coisa mais linda e tudo virava eternidades?
Eu me lembro.
Mas nada mais importa.
Vou seguindo assim em moto-contínuo porque não encontro mais dentro de mim os caminhos. Desintegro minha vontade, esfarelo quereres e por fim, termino.
Deixo os restos do que eu não fui para algum outro nascer.
Porque agora nada sou e nada há.
Serei, daqui pra frente, mera espectadora de mim.

Mas isso é apenas um fim.


Van Luchiari ©
*Texto registrado na Biblioteca Nacional.
Todos os direitos reservados ©

FIM © by Van Luchiari is licensed under a
Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-
Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License

16 MIL RECADINHOS:

Madalena disse...

Meu Deus! Que coisa mais lindamente escorpionica!
O Fim que gera a si mesmo sem fim...
Bjs

bia martins disse...

Ouço a voz da arte,
aqui, em vc...
por todo canto que toca! ^^

Daniela Slindvain disse...

Continue gritando o seu silêncio, Van, pois daqui escuto muito bem. E quer saber? ADORO! ;)

Um beijinho doce,
Dani

Paulo R. Diesel disse...

Lembrou-me Marcelo Nova...

Paulo Fodra disse...

... melancolia com cara de madrugada na estrada, com hálito de café embaçando a janela e um sol teimoso por trás de nuvens cinza... adorei!

Beijooos

@grgoulart disse...

Adorei. Gosto muito do jeito que você escreve menina. Bjão!

Eric do Rêgo Barros disse...

Impressionante como vc consegue trasnmitir o fato do fim ser um eterno começo sem fim. Adoro tudo que vc faz. Seu fã eternamente sem fim: @eric_twirrando. Beijos querida.

Emanuella disse...

Van tu é uma multi artista. Que melancolia linda nesse texto. Amei.

Andre disse...

Van... (estas "reticencias" significam saudades,"Lembra quando tudo era tão simples que cabia tudo nas nossas mãos?").
bjs
André

Rui Carlo disse...

O fim é o outro lado do começo
a extremidade ao avesso
o infinito da esperança
ou a desesperança do finito
Fins são mais que inícios não começados
que começos não terminados
não cabem em mim tantos fins
tantos começos
tantas idas, que pra quem vê chegando são chegadas
Fim é um re-começo
não o mesmo começo
mas o mesmo re-fim

Du disse...

Ai, que triste... acho que nunca vou compreender a finitude das coisas que nos fizeram felizes de alguma forma...

Tu escreve pra caramba, viu moça? Sou tua fã!

Beijos, que tua semana seja iluminada de amor e principalmente muita paz!

Jester disse...

Realmente, de uma beleza que me cala profundamente!

A Moni. disse...

É como despedir-se de si mesma, porque o "eu", há muito já se tornara "nós", desses nós difíceis de desatar...

Lindo, lindo, sentido em carne e alma!

Beijos...

caiocito disse...

;)

EAD/JOYCE disse...

Texto maravilhoso, encadesado, entremeado de dor e beleza.

Lustato Tenterrara disse...

Estou te conhecendo. E gostando muito.
Percebi no twitter, alguma coisa, um plus.
Hoje adentrei em teus domínios. Bem cuidados, com gosto.

Em teus dizeres, muita poesia pulsante, penetrante.

Parabéns.

Beijo.
Lustato
Amor & Poesias Messenger Love & Passion of Lustato Tenterrara

Posso fazer uma comunidade p'ra você, na rede Brasil Poesias?

bjs.

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari