IMAGINARIUM ©

Imagina se você nunca mais se perdesse de mim.
Se nunca mais esquecesse os caminhos
Se tudo fosse aqui e tudo fosse agora.
Imagina... Imagina...



Everything - Jes ft. Tiesto

Mesmo sabendo da tua natureza fugidia, mesmo assim arrisquei-me segurar-te as mãos.
Talvez elas não soltassem meus dedos e meus sonhos. Talvez elas fundissem-se nas minhas e tudo tornar-se-ia confuso e misturado, sem que um ou outro soubesse que mão era de quem.
Mesmo sabendo da tua essência etérea, forjei tua imagem firmemente em mim.
Sulquei meu corpo com as coisas que tu me destes, com as palavras que me dissestes. Esculpi em meus poros as sensações e os arrepios que tu me causastes. Compus um imaginário concreto com todos os teus chegares.
Fiz-te existir em mim de tal forma e tanto, que mesmo assim escorregadio e encantado, tu nunca mais desejasses sair desse colo, desse abrigo que eu te fiz na superfície profunda dos meus olhos.

Das minhas entranhas, fiz um ventre macio a receber-te. E da minha voz, um sussurrar delicado a soprar-te vida, eternidade, desejo.
Mesmo sabendo dos teus caminhos impossíveis, trilhei-te os atalhos cravados em cada poema, em cada letra. Uma escala ascendente de pelos, gozares e tremores que, inevitáveis, despejavam-te inteiro em minha estrada.
Mesmo sabendo da ironia talhada no desencontro do tempo, tracei um esboço paralelo à tua existência e assim, encostei o meu chegar no teu. Sorrateira, fiz-me constante e perto. Sem rotas de fuga ou subterfúgios, sem delongas ou demoras.
Assim, mãos dadas com as dimensões outras em que habitas, fiz-me desvio e pecado. Engano e feitiço. Fiz-me sonho, surpresa, magia e realidade. E fui tua, finalmente.
Sempre serei-te e tu em mim... Enquanto durarem tuas mãos, tuas vidas, teus silêncio... Enquanto existirem teus caminhos, tua essência, tua voz... E esse sonho...

Ad infinitum. Ad eternum.



*Texto registrado na Biblioteca Nacional. Todos os direitos reservados ©
IMAGINARIUM © by Van Luchiari is licensed
under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-
Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License
*Imagem: Google. Sem referência.

17 MIL RECADINHOS:

Suzana Martins disse...

Enquanto corpos e almas sonharem juntos, o silêncio, o caminho, a voz guardarão a mesma essência!!

Lindo demais!!!

Abraços meus...

Anônimo disse...

@Tuiito: Van, lembrei-me de Cecilia Meireles, num poema chamado "Canção Quase melancólica". Olha o final: "Quando vierem fechar meus olhos, talvez não se deixem fechar. Talvez pensem que o tempo volta, e que vens, se o tempo voltar." Esse nunca desistir do amor amante que nós também encontramos em seu poema.

Anônimo disse...

@tuiito Adorei o Texto! :)

Emerson Donizeti Batista disse...

Como sempre, um texto multimídia e intenso cravejado de diamantes!

Roberta disse...

Compus um imaginário concreto com todos os teus chegares...

Porque é sempre assim. Por mais que seja escorregadio e encantado, são os chegares que nos alimentam a entrega.

É pelos chegares que sustentamos todo um edifício de sentimentos.

Ainda que ele desabe com as partidas.

Lindo, Van, sempre sempre muito lindo...

Beijo grande!

e.s.gomes disse...

Ah! Quem me dera ser a razão de tamanha beleza.

Não conheço pessoalmente Van.
Apenas a Blue, a Alma.

A vasta Alma dessa mulher.

Van, que a lua e as estrelas continuem te incendiando de paixão e poesia.

Parabéns!

Beijo

Evandro

Samuel disse...

Olá moça, parabéns pelo espaço tão elegante e bacana. Estarei sempre por aqui. Adorei os textos. Beijos!!!

EAD/JOYCE disse...

Intenso e emocionante, quanto amor e paixão.bjs

Ana Graña disse...

Van, você é iluminada!

Lindo, simplesmente, lindo!!

Beijos :)

Madalena disse...

Alma saindo à flor da pele...
Poucos sabem da profundidade de um mero toque.
Voce sabe Van ;-)

Paulo Eduardo da Rocha disse...

Mais um excelente manifesto de amor! ;)

Helio Thompson disse...

Essa é a grande maravilha da vida, poder sonhar e amar, como dessa forma tão brilhante através das palavras que escorrem pelas suas mãos.

Adorei!

Beijos.

Andreza disse...

Linda Van,
A eternidade da essência, do amor, da alma, dos toques, e a certeza de que há caminhos que se entrelaçam infinitamente nesse bordado minucioso que é a vida, fazem tudo, tudo mesmo, valer a pena.
Por isso sonho. Por isso, sonhe também.
Ad infinitum. Ad eternum.

Sempre consegue me emocionar com suas doçuras!
Beijo,
@Andrezzasousa

Paulo R. Diesel disse...

Parece que ninguém se perderá neste caminho traçado por um destino que está sendo escrito aos poucos.
Foi o que captei...

Beijo Van

Anônimo disse...

Muito derramado. Você já foi menos pior!

Carmen Eugenio disse...

Van, me vi em cada palavra. Encontro-me neste salto ornamental na escuridão, que o amor me impulsionou... E você, com a sabedoria dos poetas, tem o dom de traduzir e nos acalentar...Lindo demais!!!!

Giovani disse...

pensei que a van fosse um carro utilitário. hehehe.

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari