'CINE BAITA'

*Olha, faz um tempo absurdo que eu não vou ao cinema, que eu não tomo sorvete numa tarde tranquila, sem que uma sombra desenhe os caminhos antes dos passos. Faz um tempo baita que eu não me olho no espelho sem um gosto amargo na boca, teimando em queimar a retina e não me satisfaço com o tempo - implacável - e faz um século que não me reconheço em quem fica, em quem há e me habita. 
Faz um infinito que eu não visito um amigo num país distante, porque a distância grudou na pele e se fez medo. Medo. Medo. E não visito uma memória e a faço viva. E não visto uma roupa - ou olhos - que me digam 'você é linda'. 
Faz um instante secular que eu não amo com aquela sensação de morte iminente fingindo estourar o peito de tanta paixão. E as cores me escapam e eu respiro esse ar denso e quente, num estrangulamento onírico sem fim. Faz um tempo baita que eu não me sirvo de levezas, de encantamentos, de umidades, de ilusões. 
Não é só o tempo que anda seco. Eu tenho pensado no tanto de mim que ainda há de ser, porque o tanto que é não satisfaz, embora imenso.  Saber-se é sempre uma eternidade. Nada me liberta de mim? 
Faz um tempo baita que eu me despeço do que sou e o caminho é longo até o que serei. Serei? ... 
Quando é que começa a próxima sessão? 

#vanluchiari


Van Luchiari ©
*Texto registrado na Biblioteca Nacional. Todos os direitos reservados © 
CINE BAITA© by Van Luchiari is licensed under a 
Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial- 
Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License



7 MIL RECADINHOS:

Cibele disse...

Perfeito Van :D
Adorooo suas escritas!
Bjs.

Mariana disse...

Algumas coisas no tempo causa uma saudade.
Que bom que pode viver tudo isso para que hoje eu possa ler esse texto magnifico,como todos que você escreve.Beijos

Sérgio Luyz Rocha disse...

Não sei até onde somos e nem o que seremos depois. É isso que dá tanta eternidade. Texto inspirador, garota.

Bom domingo, boa semana...
Beijos!

Menina no Sotão disse...

Ok. Pausa. Respirando fundo e agora pensando em todas as palavras. Amontoou tudo aqui dentro.
Sabe? Teve uma epoca em mim que as coisas andavam alheias a minha existência. Resolvi fazer uma limpeza. Deixei de lado um punhado de coisas e me senti mais leve. Dias mais tarde estava tudo lá de novo... rs
Loucuras da pele e da alma também.
bacio

Ps. Gostei do novo visual.

Daniele Cezar disse...

tempo eu não vinha aqui! vi uma propaganda do teu trabalho na revista da FNAC e me lembrei do teu blog!

delícia voltar. tua miscelânea de arte e poesia é muito legal.

beijo!

Um ponto de Vista disse...

segue lá: http://vejaporesteponto.blogspot.com.br/

beijos!

Isa Lisboa disse...

Mesmo quando o tempo passa por nós, podemos parar, pegar nele e fazer o nosso próprio filme!
Gostei do seu blog, voltarei! :)
Beijos

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari