EPÍLOGO

Tentei conter, não consegui.
Assim são as coisas quase todas: amor, poesia, paixão, dor,
transbordamentos, pensamentos, gozo, vida...
Tentei conter, não consegui.
Não consegui. Jamais conseguirei.
Não tenho margens. Não tenho muros.
Vou destruindo tudo pelo caminho: pedra, ferro, gelo, chão, portas, grades...
Não há o que segure a minha inundação.
Tentei conter, não consegui.
Nem tento mais.
Se largar-me, destruo tudo.
Há que se ter alguma margem.

 #vanluchiari
 03/fevereiro/2012


Van Luchiari ©
*Texto registrado na Biblioteca Nacional. Todos os direitos reservados
©EPÍLOGO
 © by Van Luchiari is licensed under a 
Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial- 
Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License

1 MIL RECADINHOS:

Lu Guedes disse...

Não sei se precisa de margem, mas sei que fiquei aqui suspirando e buscando por mim mesma em cada linha do seu escrito. Há coisas que são avesso de imediato, outras não...

bacio

 
©2009 VAN FILOSOFIA! | by Van Luchiari